quinta-feira, 30 de maio de 2013

Saiu no blog de Jamildo

Lula e Dilma querem criar uma frente ampla contra Eduardo Campos em Pernambuco

POSTADO ÀS 15:48 EM 30 DE MAIO DE 2013
Foto: Aluísio Moreira/SEI
A coluna de Denise Rothenburg, nesta quinta-feira (30), no Correio Braziliense, traz a informação de que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff, ambos do PT, estariam articulando a formação de uma frente política em Pernambuco.

O grupo teria o objetivo de forçar o governador Eduardo Campos - que ensaia se candidatar a presidente como concorrente de Dilma - a ocupar o campo da oposição ao PT no estado, processo que já teria se iniciado, segundo avaliação dos petistas, quando Campos se aproximou de lideranças como Roberto Freire (PPS) e Jarbas Vasconcelos (PMDB).

"Sob as bênçãos de Lula e de Dilma, há uma tentativa de juntar os senadores Armando Monteiro Neto, do PTB; o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho; o senador Humberto Costa, do PT; os deputados João Paulo Lima, petista, ex-prefeito de Recife; e Dudu da Fonte, do PP. Desse bloco sairia o candidato a governador, o vice e ainda o nome ao Senado", diz a colunista.

Esta seria a segunda etapa da desconstrução da imagem de Eduardo Campos. A primeira foi a tentativa de isolar o socialista nacionalmente, com a dança das cadeiras nos ministérios, contemplando PSD, PDT e outros aliados, fortalecendo os laços com aqueles que estavam sendo seduzidos pelo governador de Pernambuco.

A segunda parte da desconstrução é isolar Eduardo Campos também em Pernambuco, onde ele tem aprovação superior a 80%. A colunista afirma ainda que aliados do governador estariam reclamando do estilo centralizador do gestor. Na esfera estadual, há quem reclame de uma 'baianização' ou 'venezuelização' da política pernambucana, comparando Eduardo a caciques políticos que não toleram as coisas feitas de forma diferente daquilo que desejam. “Ele quer tudo, assim não dá”, é o que mais se ouve nos bastidores de pernambucanos que se colocam como aliados do governador. Assim, o feitiço do isolamento que Eduardo lançou sobre o PT em 2012, na eleição municipal, se volta agora contra ele.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

ESCOLA DR MANASSÉS CRIA UM BLOG MUITO BOM! VAMOS VISITAR E COMPARTILHAR ESSA EXPERIÊNCIA EXITOSA!

M@nassés_Interlig@ndo_ cid@dãos

Quero aqui não apenas divulgar mais um blog, mas, também, fazer uma justa homenagem ao professor Pedro Henrique Torquato, colega de profissão, amigo de longa data e historiador. Visitei o blog e fiquei encantado com as atividades dos seus alunos e com o projeto que você desenvolveu. Meus parabéns por mostrar que educação de qualidade muitas vezes depende de dois elementos básicos: vontade e criatividade! Parabéns a você, aos seus alunos e a todos que fazem a Escola Municipal Dr. Manassés .

O blog da Escola Dr. Manassés pode ser localizado por esse endereço: 

http://escolamanasses.blogspot.com.br/2013/05/redescobrindo-pre-historia.html?spref=fb




ENTREVISTA COM O VEREADOR JOÃO HENRIQUE (PSB)

Nossa conversa ocorreu na casa onde vive na Avenida Capitão Justino Alves, em Venturosa - PE. O vereador João Henrique Bezerra Zacarias, transformou parte da residência em um escritório. Formado em direito, João tem se colocado como advogado do povo em seu segundo mandato. Embora tenha pouca idade, está próximo a completar os trinta anos, , já traz a marca das lutas que teve de travar na vida. No escritório não vemos móveis luxuosos ou decoração ostensiva, ali está o básico para o trabalho do legislador, os livros, o computador e um retrato da família que ama e que em breve ganhará mais um membro.
João Henrique já disputou três eleições, sendo vitorioso em duas. Na última foi eleito pelo PSB, partido que é presidido por ele em Venturosa e o mesmo do governador Eduardo Campos, com 465 votos e tem se destacado em sua atuação como vereador.
A entrevista foi concedida num tom amigável onde falou-se da atuação do homem público, resistência, a situação do município, os novos rumos do PSB e o papel da oposição em Venturosa. A todos desejo uma boa leitura.

* Vale salientar que o blog mantém um espaço aberto para opiniões acerca desta entrevista, desde que para isso o autor dos comentários se identifique.
** O espaço também está aberto para que outros vereadores ou agentes públicos, caso desejem, possam se manifestar sobre o teor dessa entrevista.
*** O e-mail do blog é: blogdoemersonluiz@ig.com.br
**** O espaço para comentários está abaixo do corpo da matéria.

Professor Emerson: Esse é o seu segundo mandato como vereador, então, passados mais de cem dias desse mandato, gostaria que você fizesse um balanço das ações feitas até aqui e dos desafios em ser membro do legislativo municipal.

João Henrique: Primeiramente quero saudar os leitores do seu blog e todos os filhos e filhas de Venturosa. Iniciei esse mandato procurando escutar o máximo possível as pessoas, pois esse ato de escuta permite que aprendamos. Isso tem tornado esse início dos trabalhos bem diferente do meu primeiro mandato. Aprendizado é experiência e experiência sempre faz bem, seja nos momentos em que fazemos pedidos que beneficiem o povo seja naqueles momentos em que temos de legislar e fiscalizar a atuação do Executivo. Nesse âmbito nós, isso falo não apenas eu, mas todos os vereadores da oposição, temos procurado gerenciar o dinheiro público da melhor forma possível.  E como gerenciar mesmo sem administrar? Com uma correta fiscalização. Isso porque esse dinheiro não pertence ao gestor, esse dinheiro pertence ao povo e tem que ser gasto de uma forma com que faça as pessoas se sentirem bem, trazendo melhorias para todos. Então nesses primeiros meses de mandato estamos trabalhando nesse sentido.

Há resistência em relação ao trabalho de vocês?

João Henrique: Em todo trabalho existem problemas. No nosso caso há o grupo da oposição e o grupo da situação e, às vezes, a oposição é mal interpretada. Quando cobramos ou exigimos algo, querem reduzir isso a uma picuinha ou então a politicagem e na verdade não é. Na verdade é o desempenho do trabalho do vereador. A Constituição nos dá esse respaldo de legislar e fiscalizar. Se formos mais a fundo veremos que o trabalho do vereador também é o de auxiliar na administração embora alguns não entendam. Quando, por exemplo, solicitamos que a iluminação de uma rua seja melhorada, estamos, também, auxiliando na administração pública. Mas, como disse, muitas vezes nossa ação é mau interpretada  quando apontamos débitos existentes, falta de médicos em hospitais, questões de funcionários, etc. Então quando tomamos conhecimento de tais problemas e levamos ao conhecimento geral alguns membros da situação entendem de outra maneira,  acha que é para prejudicar, mas não é, queremos apenas agir da forma correta.

Alguns desses problemas que você fala tem chamado muita atenção. A questão do IPSERV, por exemplo, você podia falar um pouco sobre isso?

João Henrique: O IPSERV é uma autarquia municipal e foi criada para gerenciar o dinheiro da Previdência Municipal, ou seja, dos servidores públicos municipais. A contribuição previdenciária é composta por duas partes: uma é retirada do segurado e outra parte é retirada do patronal, no caso o gestor público. Ou seja, o prefeito passa esse dinheiro para o IPSERV para que esse fundo seja gerido e as pessoas, caso seja preciso, tenham direito a aposentadoria ou um auxílio doença, pensão por morte, elas tenham direito a isso no futuro. É muito parecido com uma poupança. Você tem que guardar para usar quando for preciso. O que aconteceu? Gestores que por aí passaram, desde 2002 até agora, sempre deixaram débitos. Só que nada disso vinha a tona. Então nós, vereadores, estudando as contas de 2012, encontramos esse contrato onde o prefeito do município, na época o senhor Eudes Tenório , havia parcelado o débito em 2009 e depois o fez novamente, só que em um montante muito maior, cerca de R% 778 mil, em 2012. Embora haja um respaldo jurídico, e não cabe a mim julgar, minha função é fiscalizar. Agora se outros prefeitos que passaram e fizeram isso foi dito que essa atitude era imoral, irregular, porque na gestão de Eudes Tenório isso não pode ser chamado de imoral e de irregular? Mesmo declarando a dívida e tendo um respaldo jurídico eu não sei como um gestor parcela um débito de RS 778 mil em 200 meses, que dá mais ou menos 16 anos e 8 meses, sem juros, sem correção monetária...

E quem pagará esse parcelamento?

João Henrique: Quem vai pagar esse parcelamento são os gestores que virão daqui para frente, no caso Ernandes e qualquer outro que venha daqui para frente vai ter que pagar esse débito ou acabará incorrendo em um crime: improbidade.

Ao que parece esse fundo gasta mais do que arrecada.

João Henrique: Isso foi dito pelo próprio gestor do fundo. Então se gasta mais do que arrecada pode chegar o dia em que não tenha dinheiro suficiente para pagar os segurados. E não sou em que estou dizendo isso, a própria Previdência Social alertou o instituto – isso usando palavras da reunião da Câmara.

E o que houve com esse dinheiro?

João Henrique: Esse dinheiro deixou de ser recolhido. No caso como é patronal, o gestor tem a responsabilidade de transferir esse dinheiro ao fundo. Ele sabe quanto é o montante da dívida e deposita esse dinheiro, mas nesse caso ele deixou de pagar. E quem deixa de pagar seus compromissos comete uma grande irregularidade. Há um dito popular para quem deixa de pagar, outros gestores foram chamados assim e esse também deixou de pagar. Mas se a gente perceber, há uma grande defesa, na verdade uma blindagem sobre esse assunto. Mas o antigo prefeito deixou de pagar e como bom administrador que diz que é, deveria ter pago e não deixado que se amontoasse. Um débito de R$ 778 mil não nasce da noite para o dia.

Eu sou completamente leigo nesse assunto. Não há um desconto no contra-cheque do servidor?

João Henrique. Esse é o recolhimento do contribuinte e esse foi repassado, segundo o diretor do IPSERV, o que deixou de ser repassado foi o patronal que é a parte que o patrão tem que pagar. Veja só, o contribuinte, o segurado, está fazendo sua parte. Quem não está fazendo a dele ou não fez a dele é quem administrou. O poder Executivo não pagou a parte dele e só quem pagou foi o contribuinte.

Vamos agora tratar de assuntos de alcance nacional. Gostaria que você falasse um pouco sobre seu partido, o PSB.

João Henrique. O PSB tem implantado um novo mecanismo em sua gestão que é o da escuta da população. E nós em nossas reuniões sempre procuramos isso: ouvir o que povo tem a nos dizer para só então trabalharmos em cima do que o povo precisa. Nosso governador faz muito bem isso. Os avanços trazidos por essa prática deram visibilidade a Pernambuco e ao governador, que agora busca um projeto federal, que é uma coisa legítima, um direito de qualquer pessoa que esteja filiada e um partido e vença suas prévias.

Eduardo Campos tem um projeto para o Brasil, um projeto que deu certo aqui em Pernambuco e rendeu a ele o título de um dos melhores governadores do Brasil. O PSB tem um modo diferente de governar e não é a toa que tem crescido tanto. E um partido só cresce quando seu trabalho é reconhecido. Veja o caso do DEM – antigo PFL – e do próprio PSDB, são partidos que minguaram e perderam força política.




Sei que estar na oposição não é fácil e que, para vocês vereadores, deve ser muito difícil trabalhar. A maioria das indicações ou requerimentos deve ser mal vista ou negada pelo simples fato de dizerem: “ah, é da oposição”. Então é importante ter um bom relacionamento com os deputados? E, por falar nisso, seus deputados são atuantes?

João Henrique: Somos parceiros da causa pública e nossa parceria começou em 2009/2010. Primeiro com Ângelo Ferreira e Ana Arraes, que hoje é Ministra do Tribunal de Contas da União, e hoje, por proximidade e indicação do governador, com o deputado João Fernando. Então depois de longas conversas sentimos que algo melhor pode ser feito por Venturosa, e o que vem sendo feito. Então nos mediamos ações que beneficiam o povo de nossa cidade como  desentupimentos de poços com instalação de bombas, 300 horas-máquina de tratores de esteira para ampliação e limpezas de barragens, também mediamos o cadastramento de uma associação no programa de distribuição do leite e a perfuração de seis poços artesianos e desses seis quatro tiveram êxito. Então veja que são deputados atuantes que querem o bem de nosso povo.

E como você avalia o papel da oposição. O grupo ainda carrega a mácula de uma má administração cujo alguns membros se encontram hoje no grupo da situação. Quais os caminhos da oposição hoje?

João Henrique: Primeiro temos que encarar essas tentativas de vincular os membros da oposição a uma má gestão passada é puro marketing político. O grupo da situação (verde/amarelo) tenta passar essa imagem de que foi fulano que fez isso ou aquilo, ou fulano que vai fazer igual beltrano, tudo balela.
Agora eu fico pensando: e com tantos erros que vemos agora em nossa cidade? Hospitais sem médicos, PSF’s sem médicos, essa questão do IPSERV, contas aprovadas com ressalvas, com erros, então, como é que se pode falar de administrações passadas com erros iguais ou piores?
O que faltava na oposição e que agora estamos fazendo, não só eu mas nossos vereadores e lideranças, é buscar um maior contato com a população e através de ações conjuntas com o governador Eduardo e nossos deputados fazer o bem e melhorar a vida das pessoas. O nosso grupo é bem representado, possui lideranças como a de José Lemos, Donizete, nossos vereadores eleitos e várias outras pessoas. Então, o que nós temos que fazer? Agir sempre visando o melhor para Venturosa para que o povo sinta o nosso compromisso e reconheça que nós temos vontade de fazer melhor e podemos fazer melhor por eles, agora isso tem que ser contínuo. Temos que trabalhar com ética, nos fazer presentes, então o povo nos dará essa chance. E quando tivermos nossa chance teremos de dar tudo de nós para que essas pessoas que confiaram sintam orgulho da escolha que fizeram. Nós temos um compromisso para com todos, mas, principalmente com os menos favorecidos, porque o que vemos hoje em Venturosa é o contrário, é um compromisso com os mais favorecidos, e não é assim que se governa. Quem precisa de melhor atendimento da saúde, transportes e água é a população menos favorecida que sofre com essa seca.

Uma mensagem para os leitores do blog.

João Henrique: Quero primeiramente agradecer a oportunidade, como também expressar minha gratidão ao povo de Venturosa pela confiança e credibilidade que tem dado não apenas ao meu trabalho como aos dos demais vereadores, em especial ao bloco da oposição do qual também fazem parte os vereadores Charlles, Dedê, Nêgo e Nelcimar, que estão legislando com seriedade e buscando o melhor para todos, sem distinção.

Como homem público e legislador me coloco sempre a disposição dos filhos e filhas de Venturosa com muito amor pelo que faço, porque se o faço é porque esse povo me escolheu para representa-lo como vereador. Peço que Deus sempre nos conduza em nossos pensamentos e ações e que possamos sempre dar o nosso melhor. Um forte abraço a todos!



segunda-feira, 27 de maio de 2013

MUNICÍPIOS PODEM SOFRER COM CORTE DE 30 BILHÕES NO ORÇAMENTO DO GOVERNO


A desculpa do cego é a bacia furada” é um ditado popular nordestino usado para explicar como muitos querem justificar situações com explicações estapafúrdias. É que pode acontecer em muitos município pernambucanos a partir de junho deste ano. O motivo será o corte de verbas efetuado pelo Governo Federal, que será de R$ 30 bilhões no Orçamento e irá atingir diretamente os Estados e Municípios. A previsão para as chamadas transferências constitucionais foi reduzida em R$ 20,3 bilhões, passando de R$ 204,9 bilhões para R$ 184,6 bilhões. Como a maioria dos municípios dependem quase que exclusivamente desses repasses muitos prefeitos irão ficar com “corda no pescoço”. A situação será pior onde as prefeituras funcionam como cabides de emprego e vivem no limite das contratações e nomeações de cargos comissionados, quando não, mantém fantasmas e funcionários ilegais. Aí, sim, “a desculpa do cego será a bacia furada”. Nenhum dos nobres representantes do executivo irá admitir tais erros, apelando para sua capacidade de transferir a culpa para o Governo Federal.

domingo, 26 de maio de 2013

ATRASOS NOS REPASSES COM A CAIXA PELA PREFEITURA DE VENTUROSA TERIAM MOTIVADO NOTIFICAÇÕES DE INCLUSÃO DO NOME DOS FUNCIONÁRIOS NO SPC

No início de 2013 vários funcionários públicos do município de Venturosa foram surpreendidos por comunicados expedidos devido a débitos contraídos com a Caixa Econômica Federal. Esses funcionários possuíam empréstimos descontados em folha, e o montante era descontado mês a mês pela Prefeitura de Venturosa - PE. Como se deve o que está sendo pago?

Dezenas de funcionários receberam essas "cartas" informando-os que o não pagamento desses débitos incorreria no ingresso de seus nomes no Sistema de Proteção ao Crédito - SPC. O assunto foi levado a atenção dos vereadores Dedê Galdino (PDT),João Henrique(PSB, Charlles Adriano (PDT),  Valdeir de Oliveira Sales, o popular Nêgo de Abílio(PSD) e Nelcimar Tenório( PR). 




Como as cartas continuaram a chegar, os mesmos enviaram ofício ao órgão competente e receberam a seguinte resposta:


OU SEJA

A prefeitura recolhe o dinheiro, mas demora a repassá-lo para a Caixa. A impontualidade da Prefeitura Municipal de Venturosa gera a inadimplência dos clientes e os empréstimos de Janeiro e Março foram quitados com um mês de atraso! Seria bom que a Sec. de Administração pudesse esclarecer aos funcionários o porque isso vinha acontecendo.

AQUELA MOÇA DA TELEVISÃO QUE FALOU SOBRE O BOLSA FAMÍLIA


Uma vez curti um vídeo da Rachel Sherazadde - sei lá se o nome se escreve assim e pouco me importo com isso. Ela falava dos pontos negativos do Carnaval e achei seu comentário, naquela ocasião, lúcido e contundente. Hoje volto a ver um de seus comentários, dessa vez sobre o BOLSA FAMÍLIA. Dizia ela que a reação do povo devia servir de aviso. E SE O POSSO SECASSE? E no alto do seu salto caríssimo e de sua pele de tom germânica que causaria arrepios sexuais em Hitler ela conseguiu reproduzir todo o PRECONCEITO DE NOSSA PRETENSA ELITE! Chegou a chamar de PARASITISMO a dependência de tais recursos. QUER DIZER, SENHORITA DAS MIL E UMA NOITES, QUE AS PESSOAS QUE SÃO ASSISTIDAS POR ESSE PROGRAMA SÃO PARASITAS? QUE OS MILHÕES QUE ULTRAPASSAM A LINHA DA POBREZA, QUE PODEM ESTRUTURAR MELHOR SUAS VIDAS E SENTEM SUA VIDA MELHORAR, O MÍNIMO QUE SEJA, SÃO PARASITAS? DISCORDO, TENHO ESSE DIREITO. Gostaria de também ter acesso aos holofotes da mídia para perguntar a opinião da repórter sobre outros seres humanos e saber dela a que se comparam OS BANQUEIROS QUE SONEGAM MILHÕES E COMETEM O CRIME DE EVASÃO DE DIVISAS, OS DONOS DE TELEVISÃO QUE QUEBRAM FINANCEIRAMENTE E VÃO PEDIR APOIO AO GOVERNO FEDERAL E AMEAÇAM COLOCAR EM RISCO O SISTEMA FINANCEIRO DO PAÍS, OS EMPRESÁRIOS QUE INVADEM TERRAS PÚBLICAS E OS BRANDES LATIFUNDIÁRIOS QUE ATERRORIZAM OS PEQUENOS AGRICULTORES COM GRILAGENS E PISTOLAGEM? COMO CHAMAMOS ELES? PARASITAS? ABUTRES? E COMO CHAMAMOS QUEM OS DEFENDE E SE SUBMETE AOS SEUS INTERESSES?

Perguntar não ofende. Ainda bem que o povo deixou de dar tanta importância a jornalista. O povo quer o que é melhor para ele. Boa noite dona Sherazadde, vá contar outra história a pedido do Sultão.

NOSSOS DEPUTADOS, O QUE FAZER COM ELES? CONHEÇA A PROPOSTA DE "BOLSA ESTUPRO"!

Projeto dá benefício mensal à mulher que engravidar do estuprador e não interromper gestação. Grupos feministas criticam proposta e consideram que ela torna os abusos legítimos

Está na pauta da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados desta quarta-feira (8 de maio) o projeto de lei que oferece benefício financeiro mensal às vítimas de estupro que engravidarem e não interromperem a gestação. Apresentada em 2007 pelos deputados federais Luiz Bassuma e Miguel Martini, a proposta foi chamada de Bolsa Estupro pelos grupos feministas brasileiros, já que tem o objetivo de dissuadir as mulheres de recorrerem ao aborto legal, obrigando-as, por outro lado, a manter vínculo com quem as violentou. De acordo com o PL o pagamento de pensão alimentícia se daria depois do reconhecimento de paternidade pelo estuprador. No caso de o criminoso não ser encontrado ou identificado, o Estado assumiria esta despesa – por isso o nome Bolsa Estupro.

DIRETO DO JC - PCdoB questiona Eduardo

Eduardo a falta de planejamento do governo Dilma e foi questionado / JC Imagem

Eduardo a falta de planejamento do governo Dilma e foi questionado

JC Imagem

Aliado incondicional do PSB no governo do Estado e na Prefeitura do Recife – onde ocupa o cargo de vice-prefeito, com Luciano Siqueira –, o PCdoB reagiu, nessa quinta-feira, às críticas do governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) ao desempenho do governo Dilma Rousseff (PT), e reforçadas por deputados que participam da XVII Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), no Centro de Convenções, pelo baixo crescimento econômico, a falta de planejamento de longo prazo, a deficiência da infraestrutura e o modelo tributário concentrador. No debate, parlamentares do PCdoB do Rio Grande do Sul e da Bahia questionaram dados que Eduardo apresentou e exaltaram os avanços de 2003 para cá (governos Lula e Dilma).
Após repetir as deficiências do País, feitas na abertura do encontro, e de ocupar o tempo maior da palestra dessa quinta para focar nos êxitos do seu governo, Eduardo persistiu nas críticas sutis ao responder perguntas de deputados. Diante de um painel cheio de dados sobre distribuição desigual de receitas de tributo, o governador disse que os discursos e as políticas de gestão estão “superadas e carcomidas”, defendendo nova agenda e modelo. O gaúcho Raul Carrion (PCdoB) contestou os adjetivos, diferenciou os campos políticos e ressaltou que a disputa não é entre o novo e o velho.
“Foi colocado que Lula, FHC e Dilma são o velho. Será que a disputa é de gerações ou de projetos (políticos)? Como foi dito, o senhor (Eduardo) está em má companhia, ao lado de Aécio (Neves, PSDB-MG), defensor da privatização. O Brasil avançou. A disputa é de projetos políticos”, reagiu Carrion.
Nova contestação viria depois, quando perguntas direcionadas a saber soluções para problemas do Brasil – alguns declarando voto e elogios –, receberam respostas de Eduardo que não contrariavam a expectativa dos questionadores. O baiano Álvaro Gomes (PCdoB) reagiu, contradizendo os discursos. “O Brasil mudou. Saímos da 16ª para a 6ª economia, o desemprego caiu de 12% para 5,5%, os juros caíram de 26% para 7%, a Caixa (Econômica) e o BB foram fortalecidos e não privatizados. Estamos melhor que EUA e Europa”, elencou.
Com o auditório em um terço da lotação, em dado momento o ex-presidente da Câmara e ex-prefeito de João Alfredo Severino Cavalcanti (PP) roubou a cena. “Não fui eleitor de seu avô (Arraes), mas sou seu eleitor. Digo: se meu partido ficar contra, serei dissidente. Todo esse povo aqui quer o senhor presidente”, declarou, sob aplausos e risos.

sábado, 25 de maio de 2013

PRÓXIMO DESTINO DE NEYMAR É O BARCELONA DE MESSI




Acabou a novela mais longa e monótona do futebol brasileiro: o Santos enfim aceitou negociar Neymar com o Barcelona. "O Santos FC informa que recebeu duas propostas pelo atleta Neymar da Silva Santos Junior. Diante das proposições e das condições do contrato do jogador, o Comitê de Gestão do Clube decidiu negociar o jogador. Neymar Jr e seu pai são esperados na Vila Belmiro para escolher qual proposta o atleta irá aceitar", informou o clube em nota oficial.
O negócio foi fechado nesta sexta-feira, durante reunião com dirigentes dos dois clubes na Vila Belmiro, em Santos. O clube brasileiro tinha certa pressa na negociação porque o contrato com Neymar ia até julho de 2014 - ou seja, se ele ficasse por mais um ano, até a Copa do Mundo, sairia de graça em seguida. Para os catalães, havia o interesse de dar uma resposta à torcida após a decepcionante temporada, em que o clube conquistou o Campeonato Espanhol, mas foi massacrado pelo Bayern de Munique nas semifinais da Liga dos Campões, levando 4 a 0 na Alemanha e 3 a 0 em casa.

MAIS UMA VEZ PAULO HENRIQUE AMORIM ESQUECE QUE JÁ ELOGIOU O MODELO DE GESTÃO DO PSB E DE EDUARDO CAMPOS


O POST É EXTRAÍDO NA ÍNTEGRA DO BLOG DE PAULO HENRIQUE AMORIM, O CONVERSA AFIADA


O Conversa Afiada publica abertura da imperdível “Rosa dos Ventos” de Mauricio Dias, na Carta, via Viomundo:

MAURICIO DIAS: AÉCIO E EDUARDO CAMPOS DISPUTAM O ESPAÇO ONDE SÓ CABE UM


por Mauricio Dias, em CartaCapital, encaminhado via e-mail pelo Julio Cesar Macedo Amorim

Dilma Rousseff, candidata à reeleição, segue à frente das duas opções presidenciáveis, prováveis, da oposição: o tucano Aécio Neves e Eduardo Campos, presidente do PSB.

À margem da candidatura petista, no entanto, já existem marcas da competição travada entre o senador do PSDB e o governador pernambucano. Eles disputam o espaço onde só cabe um.

Isso é fator de formação de atrito e, certamente, gerador de canibalismo. Fato inevitável quando dois candidatos buscam o mesmo eleitor.

Aécio Neves ainda tem mais chances. Representa Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral do país, com mais de 15 milhões de votos. Além disso, já é conhecido por quase 50% do eleitorado brasileiro.

Eleito presidente nacional do PSDB, Aécio tentará se aproximar das classes mais pobres da população. É o que explica, por exemplo, a presença dele no program de televisão do partido, na terça-feira, 21, sem gravata e, às vezes, sem o paletó.

Terá também encontro com os espectadores do Programa do Ratinho, apreciado pelas camadas C e D da pirâmide social, onde os tucanos têm poucos votos.

Eleitoralmente, os mineiros têm dificuldade em conquistar os paulistas. Na eleição de 1954, Juscelino Kubitschek obteve 250 mil votos em números redondos. O principal adversário dele, Juarez Távora, passou dos 600 mil e Adhemar de Barros chegou a quase 900 mil.

JK só superou Plínio Salgado, que alcançou 160 mil votos. Já então não se mistura ao café (paulista) o leite (mineiro), comum a Velha República.

Eduardo Campos também terá dificuldades para arrancar porcentual expressivo dos mais de 30 milhões de eleitores registrados em São Paulo. Um grande número dele de nordestinos como, por exemplo, o pernambucano Lula.

Se Campos confirmar a candidatura, dará um primeiro passo para quebrar uma tradição avoenga. O pernambucano Miguel Arraes, de prestígio político nacional, nunca conseguiu cruzar as fronteiras do estado. Uma das razões: tinha marcada posição de esquerda na década mais quente da “guerra fria”.

Talvez por isso, embora tripulando uma sigla (PSB), registrada como socialista, faz uma inflexão para o centro. Ele tenta, assim, abrir passagem para eleitores mais conservadores.

Mas borra a imagem do partido. Nesse item, empata em dificuldades com Aécio Neves, que, ao contrário do que se espalha, não uniu os tucanos. Uniu? Pergunte ao Serra.

“A candidatura de Eduardo Campos é irreversível”, afirma o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral.

Mas é preciso esperar a oficialização.

Campos pode construir a candidatura dele e desconstruir o partido que preside.

Há figuras influentes no PSB contrárias ao rompimento com a candidatura Dilma. Pelo menos quatro dos seis governadores do PSB reagem a isso. Cid Gomes (CE), Casagrande (ES), Capibaribe (AP) e Ricardo Coutinho (PB).

Frase: “Sendo ele o candidato, será um excelente nome”. Do senador tucano, serrista, Aloysio Nunes, testando os nervos de aço do tucano mineiro Aécio Neves, postulante a presidente.

A indicação do constitucionalista Luís Roberto Barroso para o STF resgata a dívida de Lula com o jurista e historiador Raymundo Faoro (1925-2003). Faoro, em 2003, recomendou a Lula o nome de Barroso para uma das três vagas abertas no STF. A escolha foi por Ayres Britto, Joaquim Barbosa e Cezar Peluso. Faoro morreu antes. Consta que Lula se arrepende. A carta, encaminhada pelo ministro Sepúlveda Pertence ao presidente Lula, foi engavetada.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

BOATOS SOBRE O FIM DO BOLSA FAMÍLIA PODEM TER COMEÇADO COM LIGAÇÕES TELEFÔNICAS

Do blog de Magno Martins















A Polícia Federal (PF) já tem informações sobre pessoas que receberam telefonemas no último final de semana com mensagens sobre o fim do Bolsa Família. A PF não confirma o número de pessoas identificadas, mas diz que dispõe de informações sobre a possibilidade do boato ter surgido a partir de ligações originadas por telemarketing.

As investigações começaram na segunda-feira (20), por determinação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
Na terça-feira (21), Cardozo levantou a suspeita de que a ação possa ter sido “orquestrada” devido à velocidade com que os boatos sobre o fim do Bolsa Família se espalharam.

A Caixa Econômica Federal ficou de repassar hoje (24) à Divisão de Crimes Cibernéticos da PF, responsável pelas investigações, as informações relativas aos dois primeiros saques feitos após a disseminação do boato. Os dados podem ajudar a localizar a origem dos rumores.

Somente no último final de semana, a Caixa Econômica Federal registrou 920 mil saques de beneficiários do programa. As informações desencontradas sobre o pagamento do Programa Bolsa Família provocaram uma corrida às agências que levou os beneficiários a sacarem R$ 152 milhões.

Após o ocorrido, o Governo Federal disse que vai passar a fazer um monitoramento "mais fino" dos saques feitos por beneficiários do Programa Bolsa Família durante os fins de semana.

Segundo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, a medida vai se somar a outros mecanismos de controle do pagamento dos benefícios. A finalidade é permitir uma resposta mais rápida a problemas como os tumultos do último fim de semana em agências bancárias da Caixa Econômica Federal e lotéricas de 12 Estados.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

BRASIL ULTRAPASSA ESTADOS UNIDOS EM GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS


NOVOS EMPREGOS EM ABRIL: BRASIL 196 MIL X 165 MIL EUA



Economia nacional criou mais vagas de trabalho no mês passado do que o maior PIB do mundo; mas enquanto nos Estados Unidos do presidente Barack Obama análises saúdam resultado "acima das expectativas", no Brasil da presidente Dilma Rousseff a ordem na mídia tradicional é ser estraga prazer: "Trata-se do pior resultado para o mês desde 2009", frisa notícia do site G1; meio eletrônico das Organizações Globo esconde que, nos últimos doze meses, foram criados 1.087.410 postos formais de trabalho, com crescimento de 2,79% em comparação com período anterior; País vai vencendo a crise, mas torcida contra não cede

quarta-feira, 22 de maio de 2013

DILMA É A SEGUNDA MULHER MAIS PODEROSA DO MUNDO, APONTA FORBES


A presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT), é a segunda mulher mais poderosa do mundo, atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel, segundo o ranking anual da revista 'Forbes'.

Dilma, que ficou na terceira posição por dois anos consecutivos, alcançou o segundo lugar após a saída de Hillary Clinton do posto de secretária de Estado americano, o que fez a ex-primeira dama dos Estados Unidos cair para o quinto lugar. A lista deste ano foi divulgada pela revista nesta quarta-feira. Confira as 10 primeiras colocadas aqui:

terça-feira, 21 de maio de 2013

Ex-Prefeito de Venturosa é investigado por improbidade administrativa e pode perder os direitos políticos por 05 anos


O ex-prefeito de Venturosa, o senhor Eudes Tenório Cavalcante é citado em  processo por improbidade administrativa. O processo de nº 0000152-51.2012.4.05.8310 pode ser consultado no endereço eletrônico http://www.jfpe.jus.br/index.php/processos/consulta-processo.html. O mesmo foi proposto pela União onde os réus apontados são o ex-prefeito e um de seus secretários.



Caso seja condenado o ex-prefeito estará sujeito as seguintes sanções:

·         Ressarcimento do dano (que segundo o processo será de R$ 182.239,09)
·         Suspensão dos direitos políticos por 05 anos;
·         Pagamento de multa civil.
·         Perda da função pública (cargo, emprego ou função);


Para compreender um pouco melhor.

Entende-se por Improbidade administrativa o ato ilegal ou contrário aos princípios básicos da Administração, cometido por agente público, durante o exercício de função pública ou decorrente desta. Também constitui ato de improbidade praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competência.

No referido processo se aponta a existência da comprovação da prática de ato de improbidade consistente em desvio de finalidade na aplicação de verba federal. 


PARTIDO DE MARCOS FELICIANO ENTRA NO STF CONTRA CASAMENTOS HOMOAFETIVOS

PSC entra no STF contra casamento gay

















O PSC do deputado e pastor Marco Feliciano protocolou hoje (21) no Supremo Tribunal Federal (STF) um recurso de segurança contra a regulamentação do casamento civil homoafetivo. Para o Partido Social Cristão, quem deve decidir sobre o tema é o Congresso Nacional. Segundo a assessoria de imprensa do PSC, o CNJ “extrapolou seus poderes” ao regulamentar o trabalho dos cartórios em relação ao casamento gay.

A ação do PSC vai contra a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, na semana passada, tornou obrigatória a conversão de uniões estáveis homoafetivas em casamento civil nos cartórios de todo o Brasil.

Em nota, o PSC diz que a decisão cabe ao Senado e Câmara, onde os congressistas podem “exercer na plenitude as suas prerrogativas legais (...) bem como se manifestar, expressando a sua vontade, nos limites da orientação partidária, seguindo os princípios cristãos (...)”.

Na Câmara dos Deputados, projetos polêmicos a respeito do casamento civil estão na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, presidida por Marco Feliciano, que tem o poder de decidir sobre a pauta que será debatida e votada pela comissão.

Em 2011, o STF votou a favor da união estável homoafetiva no Brasil. Diante desta decisão, que igualou em direitos as uniões de casais hetero e homossexuais, o ministro Joaquim Barbosa apresentou projeto no CNJ, que foi aprovado, obrigando os cartórios a dar o passo seguinte, isto é, a realizar o casamento civil também entre pessoas do mesmo sexo - antes, cada cartório podia decidir como quisesse ou seguia normas dos Tribunais de Justiça do estado onde ficava.

Agora, a Suprema Corte terá de dar seu parecer sobre a validade da decisão do CNJ. O relator do processo no STF é o ministro Luiz Fux.

UMA CRÔNICA VERONENSE


Willian Shakespeare iniciou uma de suas obras mais famosas na Bela Verona.

Também me preocupo com a Bela Verona.

E em conversas com amigos que amam essa cidade tanto quanto eu, localizamos avanços e alguns dramas na Bela Verona.

Na Bela Verona ainda se faz uso de programas do Governo Federal como se fossem dádivas do Governo Local.

Embora haja grandes esforços para sanar os problemas de saúde existentes no município, o novo governo ultrapassou seus primeiros 100 dias de gestão sem conseguir fornecer pleno atendimento médico à população. 

Corre o boato que na falta de médicos, profissionais de enfermagem assumem essa função, o que espero, sinceramente, que se trate apenas de um boato. 

Se isso for verdade as pessoas que moram em  Verona podem ser vítimas de graves erros médicos. Talvez seja o caso de assim como fez o governo brasileiro abrir as portas para médicos cubanos.

Na Bela Verona também há mistérios. Funcionários que tiveram parcelas de empréstimos consignados em seus contra-cheques sendo cobrados como  se estivessem inadimplentes.  Como isso aconteceu? Só os deuses o sabem.

A Bela Verona continua bela porque essa é a sua natureza. Mas quanta coisa há por baixo de sua maquiagem? Nem aos deuses se confessa!

Sertânia: Ex-prefeita Cleide tem mais uma prestação de contas rejeitadas


Do blog Arcoverde de Todos


 A ex-prefeita de Sertânia, Cleide Ferreira (PSB), teve suas contas rejeitadas em relação ao exercício de 2010 pelo Tribunal de Contas do Estado - TCE. O processo de rejeição está sob o numero 1170076-2, e está disponível para consulta no site www.moxotoligado.com.

No começo do ano, Cleide também teve um parecer desfavorável nas suas contas em 2009. O Processo já se encontra em última instância no TCE. No último dia 16 (quinta), ele saiu da GERJ - Gerência de Revisão e Jurisprudência, para a GEEC - Gerência de Expediente e Controle.