sexta-feira, 19 de setembro de 2014

HOSPITAL MEMORIAL ARCOVERDE NÃO ATENDERÁ MAIS USUÁRIOS DO SASSEPE. O MOTIVO É A FALTA DE PAGAMENTO POR PARTE DO GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

A Direção do Hospital Memorial Arcoverde, na cidade de Arcoverde, sertão do estado, lançou nota informando a suspensão do atendimento médico hospitalar aos usuários dos serviços de assistência a saúde dos servidores do Estado de Pernambuco – SASSEPE.
A suspensão já começa a valer a partir deste dia 17. O motivo da suspensão dos serviços aos milhares de servidores públicos estaduais de Arcoverde e de toda a região, segundo a nota assinada pelo Dr. Joaquim Lucena, diretor do HMA, é a inadimplência nos pagamentos por parte da Secretaria Estadual de Saúde, do Governo do Estado.
Ainda de acordo com a nota, os débitos do estado para com o hospital se arrastam por meses sem que o Governo dê uma solução definitiva para o caso.
NOTA DO BLOG
O governo do estado e o PSB fazem propaganda da saúde de Pernambuco como se esta fosse perfeita. Na cidade de Arcoverde, como já noticiou esse blog, o Hospital Regional tem passado por tempos difíceis. 
O socorro, de fato, para milhares de usuários do Sassepe era o Hospital Memorial de Arcoverde. Um oásis no deserto se assemelha ao HMA. Ótimos médicos, diagnósticos precisos e equipamentos de última geração. Agora, por incompetência gerencial do governo desse estado, os usuários que tiveram sua contribuição ampliada em salários nada satisfatórios, recolhida rigorosamente em dia, precisarão se locomover para cidades maiores ou para a zona metropolitana, onde estão concentrados os atendimentos.
Esse é o verdadeiro choque de gestão a que somos submetidos.

Marina é a segunda via da direita no Brasil, ou, de seringueira a defensora a defensora do capital ou, ainda, a nova política em desfavor do Brasil.

Na última semana assistimos a mais “revisões” de Marina em relação ao que está programado caso seja eleita presidente. Após vermos o retrocesso das ideias em relação a união civil entre iguais, as omissões a respeito do que de fato significa a independência do Banco Central, seu discurso que não deixa claro ao eleitor os aumentos que defende nos preços de energia e combustíveis, do desprezo em relação ao pré-sal, e da abertura deste a empresas estrangeiras, Marina  agora se explicou sobre a “flexibilização das leis trabalhistas” que agora é chamada de “atualização das leis do trabalho”.

O mercado encontrou em Marina sua candidata. Há muito que ela não defende mais os ideais populares, embora o povo, em geral, ainda não tenha percebido isso. Financiada por Natura e Itaú, a agenda de Marina passou a ser a dos seus financiadores. Ela se preocupa em dizer que não extinguirá o bolsa família, mas nada fala sobre ser contra leis de terceirização, em manter os reajustes do salário mínimo acima da inflação, de melhores remunerações para professores. Nada diz Marina em como vai continuar os programas habitacionais como o Minha Casa Minha Vida tirando dinheiro dos bancos estatais para dar aos bancos privados.

O aceno de Marina em favor da “revisão” da CLT (rapidamente corrigido por ela) é mais uma das grandes provas que Marina deu de que lado escolheu para governar. Décimo terceiro, férias remuneradas, horas trabalhadas, tudo isso é regido pela CLT. Que revisão ou atualização Marina quer fazer? Por que ela não diz abertamente? Simples, porque não é de interesse popular, afinal, a nova política está sendo escrita pelos grandes financiadores, com direito a jatinho fantasma em nome de laranjas, troca de CNPJ para escapar de possíveis complicações legais, censura a blogs, sites e usuários de redes sociais e muita desinformação.

Marina se coloca acima dos partidos, como antes dela fizeram Collor de Melo e Jânio Quadros. Seu vice-presidente, mais pragmático que programático, no entanto, já disse que “não se governa sem o PMDB”. A nova política está se pintando com todas as cores e tons da política que já conhecemos, só que mais perigosa, pois se traveste de popular enquanto é liberal, fundamentalista, repressora e arcaica.


Marina já traiu os pobres. Vendeu suas esperanças. Apenas ainda não acionou os órgãos que espera comandar para iniciar as desapropriações.

Emerson Luiz

Datafolha: Marina tem o dobro da rejeição que tinha há um mês

do blog de jamildo

Foto: José Cruz/ABr
Foto: José Cruz/ABr
A pesquisa do Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) mostra que a ex-senadora acriana Marina Silva (PSB), tem hoje o dobro das rejeição do eleitorado que tinha há um mês, quando entrou na corrida presidencial depois da morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. Na época, 11% dos eleitores ouvidos pelo instituto diziam que não votariam na candidata, em nenhuma hipótese. Agora, esse número saltou para 22%.
De acordo com o Datafolha, 33% dos eleitores demonstraram rejeição à presidente Dilma Rousseff (PT) e 21% afirmaram não votar no senador mineiro Aécio Neves (PSDB).
Desde que entrou na disputa com chances reais de chegar ao Palácio do Planalto, Marina está sob forte ataque dos adversários, o que pode ter contribuído para o aumento da rejeição e a queda da candidata nos índices de intenção de voto.
No último mês, as rejeições de Dilma e de Aécio variaram em uma margem de 3% e 5%, respectivamente, sempre subindo e descendo a depender do levantamento.
Nas cinco pesquisas realizadas pelo Datafolha neste período, a rejeição de Marina só subiu. Foi de 11% no dia 16 de agosto para 15% no dia 30. Em 4 de setembro era de 16%, foi a 18% no dia 10 e agora chegou aos 22%, ultrapassando Aécio.

Fernando e João: vem reforço nacional para o Senado


Do Diario de Pernambuco - Rosália Rangel
O acirramento na disputa pelo Senado está exigindo um pouco mais de esforço dos candidatos da Frente Popular, Fernando Bezerra Coelho (PSB), e da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, João Paulo (PT). Na reta final da campanha, eles apostam na força das lideranças nacionais para conquistar o mandato. Na próxima terça-feira, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, desembarca em Pernambuco para reforçar o nome de Fernando. A mesma estratégia está sendo usada com João Paulo que espera, para os próximos dias, uma nova visita do ex-presidente Lula (PT).

Marina retorna ao Estado para mais uma agenda conjunta com Paulo Câmara, que disputa a eleição estadual, mas as atividades estão sendo organizadas em locais onde a candidatura de Fernando Bezerra precisa crescer. Por isso, a coordenação da campanha decidiu investir na Região Metropolitana, em Paulista ou no Cabo, e no Agreste, em Caruaru.

João Paulo, por sua vez, vai seguir a mesma estratégia do candidato do PTB ao governo, Armando Monteiro, concentrando sua agenda na Região Metropolitana. Até o final da campanha, no entanto, o petista deverá visitar o Agreste duas vezes, sendo uma delas acompanhado do ex-presidente Lula.

EM NOVA PESQUISA DATAFOLHA DILMA SOBE, MARINA CAI E AÉCIO COMEÇA A REAGIR.



A nova rodada da pesquisa Datafolha apontou crescimento da candidata do PT, Dilma Rousseff, e queda brusca da candidata do PSB, Marina Silva.

A presidente subiu de 36% para 37% das intenções de voto. Com 3 pontos a menos em relação à pesquisa da semana passada, a ex-ministra figura com 30% das menções.

Aécio Neves, do PSDB, também aproveitou a queda de Marina Silva. Ele oscilou de 15% para 17%. Os demais candidatos têm 3%.

O Datafolha entrevistou 5340 leitores entre os dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Brancos, nulos e indecisos totalizam 13% das intenções de voto.Na principal simulação de segundo turno, entre Dilma e Marina Silva, os números são: 44% para a candidata do PT e 46% para a ex-senadora, o que é considerado situação de empate técnico. Dianteira de Marina nunca foi tão baixa. Em agosto, era de dez pontos.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

GUIA ELEITORAL MARCADO POR ATAQUES ENTRE CANDIDATOS

:

Pernambuco 247 - A reta final da campanha tem sido marcada por uma mudança feroz nos guias eleitorais dos candidatos ao Governo de Pernambuco. Na semana passada, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) cobrou explicações do adversário Paulo Câmara (PSB) sobre o uso do avião que caiu em Santos (SP), matando o ex-governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) e outras seis pessoas, e o beneficiamento com incentivos fiscais ás empresas suspeitas de terem comparado a aeronave de forma irregular na época em que era secretário da Fazenda. Nesta semana, o socialista deu o troco ao afirmar que Armando era um "mau patrão" responsável por "quebrar" diversas empresas da família, de maneira que não teria capacidade para administrar o Estado.
A guinada radical começou quando o petebista começou a cair nas pesquisas de intenção de voto. Em seu guia, Armando questionou o fato do PSB não ter dado explicações sobre quem é de fato o dono do avião que caiu no dia 13 de agosto. No acidente Aéreo, além de Eduardo Campos, também faleceram diversos assessores e a tripulação da aeronave.
O petebista também cobrou explicações sobre o fato de Câmara ter viajado no jatinho durante um ato de pré-campanha em junho deste ano e a concessão de benefícios fiscais à Bandeirantes Pneus, suspeita de ter adquirido o avião de forma irregular. A Justiça Eleitoral determinou a retirada da propaganda e concedeu direito de resposta ao socialista. Neta semana, durante um debate na televisão, Armando voltou a cobrar explicações sobre o episódio.
Liderando as pesquisas de intenção de voto com seis pontos percentuais à frente de Armando, Câmara deu o troco no guia eleitoral de rádio e televisão levado ao ar nesta quarta-feira (17). Na peça levada ao ar, o PSB tenta desqualificar a imagem que Armando tenta passar para o eleitor de que tem experiência administrativa. A propaganda diz que Armando quebrou várias empresas da família em Pernambuco, o que não o qualifica como um gestor experiente.
Pelo visto, os marqueteiros de ambos os lados terão muito trabalho pela frente.

Paulo Câmara e Felipe Carreras são condenados a pagar multa por propaganda em Show

Por: Marcelo Passos
A Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE/PE) recorreu nesta quarta-feira, 17 de setembro, da decisão que condenou Paulo Câmara – candidato a governador –, Felipe Carreras – que disputa o cargo de deputado federal –, e seu partido, o PSB, pela realização de propaganda eleitoral irregular no evento conhecido como “Maior Show do Mundo”.


Ao julgar representação proposta pela PRE/PE, o desembargador eleitoral José Ivo de Paula Guimarães aplicou a cada um deles multa no valor de R$ 2 mil – o mínimo previsto no artigo 37 da Lei 9.504/97. Entretanto, o procurador regional eleitoral auxiliar Joaquim José de Barros Dias pede ao Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE/PE) que a multa seja fixada no limite máximo previsto pela legislação, que é de oito mil reais.

A imagem e o número de campanha de Paulo Câmara e Felipe Carreras foram divulgados por meio de incontáveis placas luminosas exibidas no evento, que ocorreu no último dia 24 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco. Em um dos registros fotográficos apresentados pela PRE-PE, 16 pessoas portavam as placas, lado a lado, formando um verdadeiro “paredão”. Além disso, Carreras chegou a circular entre os indivíduos que levavam as placas luminosas, de modo a aumentar a promoção de sua candidatura.

Embora se trate de evento privado, o “Maior Show do Mundo” foi realizado em local considerado, para fins eleitorais, como “bem de uso comum”, que é o bem particular a que a população em geral tem acesso. Para a PRE-PE, a aplicação da multa em seu valor máximo se justifica pelo volume e o caráter ostensivo da propaganda eleitoral, bem como pela magnitude do evento, que contou com a presença de cerca de 35 mil pessoas.
Com Inoformações Assessoria

terça-feira, 16 de setembro de 2014

PSB ASSUME: QUER ABRIR O PRÉ-SAL A ESTRANGEIROS


:
Com todas as letras, coordenador de campanha Walter Feldman disse a empresários em São Paulo que modelo de partilha será mudado em caso de vitória de Marina Silva (PSB); pelo atual regime, aprovado durante o governo Lula, o País fica com a maior parte dos lucros obtidos e a Petrobras é parte obrigatória na exploração de todos os campos; Feldman chamou política de "doutrinária" e errada e disse que executivos do setor se queixaram do modelo; pelo regime de concessão, em vigor do governo FHC e mais apropriado para áreas onde há menor quantidade de petróleo, predominam os interesses das multinacionais; proposta de acabar com o modelo de partilha também é defendida pelo tucano Aécio Neves

247 – O PSB da candidata Marina Silva assumiu: tem a intenção de priorizar o interesse das multinacionais na exploração do pré-sal. É o que prevê, pelo menos, a revisão do regime de partilha, aprovado durante o governo Lula. Nesta segunda-feira 15, durante encontro com empresários em São Paulo, o coordenador da campanha da presidenciável, Walter Feldman, chamou a política atual de "doutrinária" e errada.
No atual modelo, vigente para a exploração de áreas cuja expectativa é de grandes quantidades de petróleo, o Estado fica com a maior parte dos lucros obtidos e a participação da Petrobras é obrigatória na exploração de todos os campos. Feldman argumenta que a situação financeira da estatal não permite que isso seja praticado. "A própria Petrobras se diz com dificuldades de responder a essa demanda", disse ele.
No modelo de concessão, vigente durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e apropriado para áreas de maior risco exploratório e com expectativa menor em relação a quantidades, predominam os interesses das grandes multinacionais, como Shell, BP (British Petroleum) e Chevron, que passariam a explorar e obter a maior parte dos lucros da riqueza extraída de mares brasileiros.
Segundo Walter Feldman, executivos do setor criticaram a emissários da candidata, durante encontro na semana passada, a política de conteúdo local – que prevê que 60% dos componentes sejam feitos no Brasil. Rever o regime de partilha na exploração de petróleo também é uma proposta do candidato do PSDB, Aécio Neves, duramente criticada pelo ex-presidente da ANP Haroldo Lima, em entrevista ao 247 concedida em abril desse ano (leia aqui).

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Nova pesquisa Vox Populi mostra Dilma 9 pontos na frente de Marina Aécio é o terceiro. Candidatas do PT e do PSB estão empatadas em simulação de 2º turno


A candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) abriu 9 pontos percentuais de vantagem sobre a segunda colocada, a candidata Marina Silva (PSB), no primeiro turno da corrida à Presidência da República, e acordo com pesquisa de intenção de voto realizada pelo Vox Populi, encomendada pela Rede Record, divulgada nesta segunda-feira (15).
Dilma tem 36% da preferência do eleitorado, contra 27% de Marina. Aécio Neves, candidato do PSDB, aparece na terceira colocação, com 15%. Os votos brancos e nulos seriam 8%, e os eleitores indecisos totalizam 12%.
Os candidatos Luciana Genro (PSOL) e Everaldo Pereira (PSC) marcaram 1% cada um. Os postulantes ao Planalto Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO).
A pesquisa ouviu 2.000 eleitores de 147, entre sábado (13) e domingo (14). O levantamento, que tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e nível de confiança de 95%, está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-00632/2014.
Em pesquisa Vox Populi feita há cinco dias, encomendada pela revista Carta Capital, Dilma tinha 36% das intenções de voto, contra 28% de Marina e 15% do senador Aécio.
Segundo turno
O Vox Populi fez duas simulações de segundo turno. Na primeira, com Dilma Rousseff (PT) contra Aécio Neves (PSDB), a presidente derrota o tucano por 47% a 36%. Os votos brancos e nulos seriam 12%, enquanto os eleitores indecisos são 5% neste recorte.
Em outra hipótese, com Dilma Rousseff (PT) contra Marina Silva (PSB), haveria um empate técnico entre as candidatas. A pessebista, que assumiu o lugar de Eduardo Campos, tem 42% das intenções de voto, enquanto a petista registra 41%. Os brancos e nulos, neste recorte, são 11%, e os indecisos totalizam 6%.
Regiões
A candidata Dilma Rousseff (PT) leva vantagem nas regiões Centro-Oeste/Norte, Nordeste e Sul do País. Já Marina Silva (PSB) tem maior intenção de voto na região Sudeste.
No Centro-Oeste/Norte, Dilma tem 35% das intenções de voto, contra 33% de Marina e 16% de Aécio Neves. Os outros candidatos, juntos, tiveram 1% do total. Os brancos e nulos são 4% na região, e os indecisos chegam a 10%.
No Nordeste, Dilma tem 56% das intenções de voto, contra 22% de Marina e 6% de Aécio. Os outros concorrentes têm 1%, os brancos/nulos são 6% e os eleitores indecisos atigem 8%.
No Sul, a presidente aparece com 27% da preferência, seguida por Marina (25%) e Aécio (18%). Os outros candidatos têm 2%, os votos brancos/nulos são 9% e os eleitores indecisos são 18%.
Por fim, no Sudeste, Marina Silva tem 28% da preferência, seguida de perto por Dilma (26%) e Aécio (20%). Os outros concorrentes atingiram 2%, enquanto os votos brancos/nulos são 11% e os indecisos são 13%.
Desempenho da presidente
A pesquisa também quis saber dos eleitores entrevistados a avaliação da presidente Dilma Rousseff. Para 38% dos entrevistados, o desempenho de Dilma é “ótimo ou bom”. Outros 39% consideram a presidente “regular”. Por fim, 23% julgam a forma de governar “ruim ou péssima”. Os eleitores que não souberam ou não responderam são 1% do total.

ELEIÇÃO VIRA CASO DE POLÍCIA EM PERNAMBUCO. COMITÊ DE ARMANDO MONTEIRO EM ABREU E LIMA É INCENDIADO EM ATO CRIMINOSO

:

A eleição pernambucana está virando um caso de polícia; na madrugada desta segunda-feira, o comitê da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, instalado em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foi alvo de um incêndio apontado como criminoso; o fogo consumiu placas, cartazes, folders, bandeiras e outros materiais que seriam distribuídos pela cidade ao longo da semana; em outras ações, balões foram alvos de disparos de arma de fogo
Pernambuco 247 - A eleição pernambucana está virando um caso de polícia. Além das acusações da destruição de material de campanha pelos partidos uma nova denúncia de vandalismo e depredação elevou o nível de tensão. Na madrugada desta segunda-feira, o comitê da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, instalado em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foi alvo de um incêndio apontado como criminoso. O fogo consumiu placas, cartazes, folders, bandeiras e outros materiais que seriam distribuídos pela cidade ao longo da semana.
De acordo com a assessoria da coligação, quatro pessoas desceram de um carro branco que estacionou em frente ao comitê e, em seguida, arremessaram coquetéis molotovs em direção ao local. O veículo não teve nem o modelo e nem a placa anotada. A ação não teria sido a primeira da qual a coligação, que tem o senador Armando Monteiro Neto (PTB) como cabeça de chapa, foi vítima. Há pouco menos de 15 dias, um dos comitês, instalado em um dos bairros centrais da capital, também foi atacado por vândalos, entre outras ações.
No último dia 10, três balões de propaganda de Armando Monteiro foram alvos de disparos de arma de fogo efetuados por desconhecidos. No final de agosto, outros dois balões e uma placa também teriam sido atingidos por disparos e existem queixas de balões furados em diversos outros bairros da RMR. Em todos os casos, segundo a coligação, foram prestadas queixas à polícia sobre as ocorrências.

Armando e Paulo Câmara: empate duro: 33% a 33%. Para o Senado a preferência do eleitor é por João Paulo


Do Diario de Pernambuco
 Com um cenário de forte polarização, em Pernambuco o segundo turno da disputa para o governo do estado na prática já está acontecendo. É o que revela a primeira pesquisa Ipespe publicada com exclusividade pelos Diários Associados. De acordo com o levantamento, tanto o candidato do PSB, Paulo Câmara, quanto o candidato do PTB, Armando Monteiro Neto, têm 33% das intenções de votos na pesquisa estimulada, na qual os nomes dos concorrentes são apresentados para o entrevistado. Os outros candidatos não chegaram a pontuar 1%; a soma dos eleitores que pretendem votar nulo, branco ou em nenhuma das opções disponíveis ficou em 9% e os indecisos representam 24% - percentual considerado baixo por especialistas. Para essa pesquisa foram entrevistadas 2 mil pessoas entre os dias 9 e 11 de setembro. Os resultados têm margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa Ipespe retrata o quadro sucessório antes do 30º dia da morte do ex-governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB). Eduardo foi vítima de um acidente aéreo no dia 13 de agosto e o episódio deu uma guinada na campanha local. “A soma dos eleitores de Paulo Câmara e Armando revelam uma forte polarização. Caso algum desses candidatos consiga livrar uma pequena diferença para o outro poderá decidir a eleição no primeiro turno”, diz Adriano Cerqueira, cientista político, professor do Departamento de Gestão Pública da Universidade Federal de Ouro Preto e analista de pesquisa dos Diários Associados. 

Se forem considerados apenas os válidos, contabilizando-se dessa forma só as intenções de votos nominais, Paulo aparece com 50% e Armando  com 49% (não fecha em 100% em decorrência dos decimais). Na pesquisa espontânea, Paulo aparece com 25% e Armando com 20%. A diferença supera a margem de erro. Na espontânea, o entrevistado precisa lembrar sozinho do nome do seu candidato. 
joao-paulo-e-fernando-bezerra
Do Diario de Pernambuco
O ex-prefeito do Recife e candidato do PT, João Paulo lidera a pesquisa do Ipespe para o senado em Pernambuco com 30% das intenções de votos. O candidato do PSB, Fernando Bezerra Coelho, está em segundo lugar com 25% das intenções de votos na estimulada. O percentual que os separa é maior que a margem de erro da pesquisa, de 2,2 pontos podendo variar para cima ou para baixo. “Mas para esse cargo ainda há um percentual significativo de eleitores que ainda não escolheram um candidato”, pondera o cientista político Adriano Cerqueira debulhando os números.

A situação de João Paulo é mais confortável se usarmos como referência as intenções de votos válidos da estimulada. Nos válidos, João Paulo fica com 53%, contra 44% de Fernando Bezerra. Para o cálculo dos válidos, usa-se as citações a nomes de candidatos e se ignora nulos, brancos e indecisos. Na espontânea, João Paulo tem 16% e Fernando 13%. Nesse caso, os indecisos chegam a 60%. A pesquisa espontânea exige que o eleitor lembre sozinho de cabeça os seus candidatos. 

João Paulo vence na Região Metropolitana do Recife (com 38% contra 23%) e Fernando Bezerra ganha no São Francisco (45% contra 24%). Nas demais regiões ocorrem empates entre eles.
Os indecisos ou que não responderam totalizam 30% do Estado. Os eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto representam 14%. Os candidatos do Psol, Albanise Pires, e do PSTU, Simone Fontana, tiveram cada uma 1%. Oxis, do PCB, não pontuou.

domingo, 14 de setembro de 2014

TCU VÊ INDÍCIOS DE EVASÃO FISCAL EM CONTRATO ENTRE CAMPOS E COSTA. O documento também é assinado pelo então presidente de Suape, Fernando Bezerra Coelho, ex-ministro de Integração Nacional e atual candidato ao Senado pelo PSB de Pernambuco


:
Em acordo de R$ 829,3 milhões celebrado entre o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o então governador de Pernambuco Eduardo Campos, a Petrobras antecipou o pagamento de tarifas portuárias ao Porto de Suape antes de a refinaria Abreu e Lima começar produção; auditores do Tribunal acreditam que operação tem indícios de sonegação e evasão fiscal; Costa foi preso pela PF, acusado de participar de esquema de lavagem de dinheiro do doleiro Alberto Youssef 
247 – Auditores do Tribunal de Contas da União (TCU) identificaram indícios de sonegação e evasão fiscal em um contrato de R$ 829,3 milhões assinado entre o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o então governador de Pernambuco Eduardo Campos. Costa foi preso pela PF, acusado de participar de esquema de lavagem de dinheiro do doleiro Alberto Youssef.
Pelo acordo, a Petrobras antecipou o pagamento de tarifas portuárias ao Porto de Suape antes de a refinaria Abreu e Lima começar a produção. 
Segundo o Globo, o primeiro relatório de fiscalização, de 6 de agosto de 2011, aponta um potencial prejuízo ao Erário de R$ 91,5 milhões.
O documento também é assinado pelo então presidente de Suape, Fernando Bezerra Coelho, ex-ministro de Integração Nacional e atual candidato ao Senado pelo PSB de Pernambuco (leia mais).

sábado, 13 de setembro de 2014

VEJA "DEFENDE" MARINA CONTRA DILMA COMO ESCOLHEU FAZER COM COLLOR CONTRA LULA. O BRASIL VIU NO QUE DEU.


MARINA SILVA se transformou na candidata da direita brasileira. De um modo sutil, com palavras nada objetivas, tem defendido propostas neoliberais que porão em risco as conquistas sociais realizadas nos doze anos de governo do PT. 

Alçada nas pesquisas após a morte de Eduardo Campos, pulverizou a candidatura de Aécio Neves e tornou-se o símbolo que os setores tradicionais de nosso país precisavam. Ela podia encarnar a mudança, se colocava como diferente de tudo o que estava aí, a representante da "nova política". O antipetismo da mídia e das oligarquias teria um porta voz com apelo popular. Há muito Marina não é mais do povo, mas o povo ainda não sabe disso.

Tudo indicava uma vitória de Marina e dos seus financiadores. Uma guinada neoliberal com mercado independente, recuo de controle estatal, desindexação do salário mínimo, aumento de lucros de bancos privados, esquecimento do pré-sal e arrochos salariais com a flexibilização das leis trabalhistas. 

Mas Marina foi a pior inimiga dela mesma. Cedeu à pressões de seguimentos e recuou no direito das minorias, se contradisse com a questão do pré-sal, refez a declaração de bens depois de ser cobrada pelo PT e não consegue explicar sua estreita relação com banqueiros. A única coisa que Dilma e Lula têm feito é mostrar as contradições de Marina e traduzir seu plano de governo para a população, mostrando os impactos que algumas de suas propostas terão na vida dos brasileiros.

Isso foi o suficiente para que Marina estancasse nas pesquisas e Dilma recuperasse o seu capital político. A emoção está dando lugar a razão e as pessoas estão começando a comparar as duas propostas, a ver o que já conquistaram e o que poderão perder. Agora Marina parte para o teatro. Chora na frente de jornalistas e quer ser o novo Lula. 

A revista Veja já a defende. E isso basta para ver que ela tem mais a ver com Collor que com Lula. 

Toda a mídia reacionária e conservadora se uniu para eleger o caçador de marajás. Collor era o novo, o homem que podia unir todos os partidos, governar com as melhores cabeças, guiar o Brasil além das polarizações. Globo e Veja o defenderam contra o trator do PT. O Brasil viu o que deu. 

A veja tem uma nova Caçadora de Marajás.

Vale a pena ver de novo?