sexta-feira, 25 de julho de 2014

Paulo Câmara terá o dobro do tempo de televisão de Armando Monteiro

As eleições para o Governo do Estado de Pernambuco entrarão em uma nova fase a partir de agosto, quando terá início o guia eleitoral no rádio e televisão. Nesta fase da campanha, o candidato do PSB, o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara sai com vantagem sobre os demais adversários. O socialista terá 10 minutos e 26 segundos para apresentar suas propostas ao eleitor, o dobro do tempo que o seu maior rival, o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que contará com quatro minutos e 57 segundos.
Conforme o sorteio realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta quinta-feira (24), Zé Gomes Neto (PSOL) terá um minuto e 16 segundos para apresentar as suas propostas no guia. Jair Pedro (PSTU), Pantaleão (PCO) e Miguel Anacleto (PCB) contarão com um minuto e seis segundos, cada.
Ao todo, Paulo Câmara fará 281 inserções enquanto Armando Monteiro contará com 133. O candidato do PSOL, Zé Gomes Neto, poderá efetuar até 30 inserções. Jair Pedro, Pantaleão e Miguel Anacleto terão direito a 30 inserções ao longo do guia.
Os candidatos ao Senado, o ex-ministro da Integração Fernando Bezerra Coelho (PSB) terá cinco minutos e 19 segundos e o deputado federal João Paulo (PT), que integra a coligação Pernambuco Vai Mais Longe, terá dois minutos e 35 segundos. Os outros três candidatos terão, em média, cerca de 40 segundos.
Já a maior parte do tempo dos candidatos proporcionais ficará nas mãos da Frente Popular. Os postulantes a deputado federal terão cerca de 13 minutos. Já os integrantes da coligação Pernambuco Vai Mais Longe terão seis minutos e 11 segundos a sua disposição. O restante do tempo será ocupados pela coligação Mobilização por Poder Popular (PSOL/PMN).
Para a campanha de deputado estadual, a Frente Popular é a que possui o maior tempo à sua disposição, com7 minutos e 33 segundos. Em seguida, aparece a coligação Pernambuco Vai Mais Longe, com 4 minutos e 35 segundos, além da coligação Pernambuco Que Eu Quero, com 2 minutos e 16 segundos. As demais coligações e candidatos terão menos de 1 minuto e 30 segundos para apresentar seus candidatos.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, processa Maia por acusação de suborno. Leia nota emitida pelo candidato.











''Figuras como José Augusto Maia devem ser banidas da política''
''Uma tentativa caluniosa de me descredibilizar'
O candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), disse ontem que está tomando 'todas as medidas judiciais cabíveis' contra o deputado José Augusto Maia (Pros-PE). Em nota, Câmara classificou a denúncia de Maia como 'uma tentativa caluniosa de me descredibilizar'. José Augusto maia denunciou ter recebido oferta de dinheiro para que seu partido integrasse a coligação da Frente Popular,  que tem Paulo Câmara como escolhido pelo presidenciável Eduardo Campos para sucedê-lo no comando do Estado.
'Anuncio que estou tomando todas as medidas judiciais cabíveis contra José Augusto Maia e todos os envolvidos nesta nefasta e inadmissível atitude. Mais do que uma retaliação, do mais baixo nível, como se poderia esperar, pelo seu autor, fui vítima de um golpe que me obriga a reagir, imediatamente, e com força proporcional -- não necessariamente à repercussão, mas à intenção', diz Paulo Câmara
O candidato do PSB ressaltou ainda que o deputado do Pros 'responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha e foi condenado pela Justiça pernambucana por improbidade, tendo seus direitos políticos suspensos por três anos'. José Augusto Maia (Pros-PE) contesta Câmara e diz que não há nenhuma condenação definitiva contra ele.
Leia abaixo, na íntegra, a nota de Paulo Câmara:
''A matéria publicada hoje (23/07), pelo jornal Folha de São Paulo, ao citar o meu nome, sugere, irresponsavelmente, a associação da minha imagem a uma suposta ação criminosa. Em função da matéria publicada por esse jornal, baseada em denúncia formulada por um parlamentar pernambucano, sinto-me obrigado a me posicionar em defesa da minha honra e credibilidade, o maior patrimônio que construí ao longo da minha vida.
É importante destacar, que o deputado José Augusto Maia, que serviu como fonte da reportagem, responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha, e foi condenado, pela justiça pernambucana, em abril deste ano, por improbidade administrativa, tendo os seus direitos políticos suspensos pelo prazo de três anos, além da condenação e dos processos em andamento no Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. Importante também ressaltar a relação histórica de amizade e apoio de José Augusto Maia ao nosso adversário direto, o ex-empresário Armando Monteiro Neto, que desde as primeiras horas do dia da publicação da matéria tenta tirar proveito eleitoral do assunto.
O que me parece mais grave é a tentativa caluniosa de me descredibilizar. Sou servidor público há 22 anos, com uma trajetória séria e reconhecida. Nunca, em nenhum momento, fui vítima de qualquer ação que questionasse os princípios que levo, de casa, à vida pública: honestidade, correção, respeito, senso de justiça. Daí a minha mais profunda indignação diante deste episódio. Será que, pela condição de candidato ao governo, devo ser exposto publicamente por conta da má fé de elementos como o referido senhor? Atitudes assim envergonham a atividade política e, pior, buscam arrastar para os espaços nebulosos, onde atua um 'ficha-suja', pessoas que estão na vida pública apenas com o intuito de exercer sua vocação e atender a uma convocação.
Figuras como José Augusto Maia devem ser banidas da política, como já foi determinado pela justiça. Portanto, em meu nome, da minha família e de todos aqueles a quem represento, nesta caminhada, como cidadão e homem público, anuncio que estou tomando todas as medidas judiciais cabíveis contra José Augusto Maia e todos os envolvidos nesta nefasta e inadmissível atitude. Mais do que uma retaliação, do mais baixo nível, como se poderia esperar, pelo seu autor, fui vítima de um golpe que me obriga a reagir, imediatamente, e com força proporcional - não necessariamente à repercussão, mas à intenção.
Tenho uma missão a cumprir e assim será. Estou convencido de que o ocorrido servirá apenas para nos fortalecer nesta luta, contra adversários desleais. Manteremos o rumo e, apesar da indignação, não perderemos a serenidade. Pernambuco conta comigo. E estou cada vez mais firme na decisão, coletiva, de vencer com trabalho e respeito.''

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Morre Ariano Suassuna.

Morreu no Recife, nesta quarta-feira (23), o escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87 anos. Ele estava internado desde a noite de segunda (21) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Português, onde foi submetido a uma cirurgia na mesma noite após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico. Segundo boletim médico, o escritor faleceu às 17h15. "O paciente teve uma parada cardíaca provocada pela hipertensão intracraniana".
O velório do corpo do escritor começa ainda esta noite, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, que decretou luto oficial de três dias. A partir das 23h, será aberto o acesso do público ao local. O enterro está previsto para a tarde de quinta-feira (24), no cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.
Ativo até o fim
Ariano Suassuna nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa, e cresceu no Sertão paraibano. Mudou-se com a família para o Recife em 1942. Mesmo com os problemas na saúde, ele permanecia em plena atividade profissional. "No Sertão do Nordeste a morte tem nome, chama-se Caetana. Se ela está pensando em me levar, não pense que vai ser fácil, não. Ela vai suar! Se vier com essas besteirinhas de infarto e aneurisma no cérebro, isso eu tiro de letra", disse ele, em dezembro de 2013, durante a retomada de suas aulas-espetáculo.
Em março deste ano, Ariano foi homenageado pelo maior bloco do mundo, o Galo da Madrugada.  Ele pediu que a decoração fosse feita nas cores do Sport, vermelho e preto, e ficou muito contente com a homenagem. “Eu acho o futebol uma manifestação cultural que tem muitas ligações com o carnaval”, disse, na ocasião.
No mesmo mês, o escritor concedeu uma entrevista à TV Globo Nordeste sobre a finalização de seu novo livro, “O jumento sedutor”. Os manuscritos começaram a ser trabalhados há mais de trinta anos.
Na última sexta-feira, Suassuna apresentou uma aula espetáculo no teatro Luiz Souto Dourado, em Garanhuns, durante o Festival de Inverno. No carnaval do próximo ano, o autor paraibano deve ser homenageado pela escola de samba Unidos de Padre Miguel, do Rio de Janeiro.
Com montagem d'O Auto da Compadecida no Rio de Janeiro, Ariano conquistou a crítica brasileira (Foto: Acervo pessoal / Ariano Suassuna)Com montagem d'O Auto da Compadecida no Rio de Janeiro, Ariano conquistou a crítica brasileira (Foto: Acervo pessoal / Ariano Suassuna)
Obra
A primeira peça do escritor, "Uma mulher vestida de sol", ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno em 1948. Ariano escreveu um de seus maiores clássicos, "O Auto da Compadecida", em 1955, cinco anos depois de se formar em direito. A peça foi apresentada pela primeira vez no Recife, em 1957, no Teatro de Santa Isabel, sem grande sucesso, explodindo nacionalmente apenas quando foi encenada – e ganhou o prêmio – no Festival de Estudantes do Rio de Janeiro, no Teatro Dulcina. A obra é considerada a mais famosa dele, devido às diversas adaptações. Guel Arraes levou o “Auto” à TV e ao cinema em 1999.
O escritor considera que seu melhor livro é o “Romance d'A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta”. A obra começou a ser produzida em 1958 e levou 12 anos para ficar pronta. Foi adaptada por Luiz Fernando Carvalho e exibida pela Rede Globo em 2007, com o nome de "A pedra do reino".
Na década de 70, Ariano começou a articular o Movimento Armorial, que defendeu a criação de uma arte erudita nordestina a partir de suas raízes populares. Ele também foi membro-fundador do Conselho Nacional de Cultura.
Após 32 anos nas salas de aula, Suassuna se aposentou do cargo de professor da Universidade Federal de Pernambuco, em 1989. O período também ficou marcado pelo reconhecimento nacional do escritor – Ariano tomou posse na cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro, em 1990.
Aqui posto uma de suas aulas espetáculo.
Saudades eternas,

Deputado afirma ter recebido proposta financeira para apoiar Paulo Câmara, candidato de Eduardo, ao governo de Pernambuco. Será o mensalinho?

Saiu na Folha de São Paulo e no blog do Magno Martins
 O deputado federal José Augusto Maia (Pros-PE)  é alvo de matéria de capa do jornal Folha de S.Paulo desta quarta-feira, em reportagem na qual ele diz que recebeu e recusou oferta de 'vantagem financeira' para que seu partido integrasse a coligação do candidato do PSB ao governo do Estado, Paulo Câmara. Diz Maia ao jornal - reportagem de Ranier Bragon eMariana Haubert --que a oferta de propina foi feita pelo presidente nacional do Pros, Eurípedes Jr., e pelo líder da bancada do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PE), em reunião  no saguão do hotel Atlante Plaza, na praia de Boa Viagem, na manhã de 12 de junho, dia do jogo de abertura da Copa.
No encontro do hotel, revela Maia, além dele, estavam presentes Eurípedes e os deputados federais Givaldo Carimbão (AL), líder do Pros na Câmara, Salvador Zimbaldi (Pros-SP), Ronaldo Fonseca (Pros-DF), Márcio Junqueira (Pros-RR) e Major Fábio (Pros-PB). Eurípides e Carimbão mencionaram uma 'proposta irrecusável' que o Pros teria recebido para apoiar o PSB em Pernambuco. Fonseca e Fábio permaneceram calados e Junqueira ficou falando no celular.
Segundo ainda a reportagem do jornal paulista, José Augusto Maia, que defendia o apoio à candidatura de Armando Monteiro (PTB) ao governo de Pernambuco e acabou destituído do comando do Pros no Estado, não quis dizer quanto teria sido oferecido, argumentando que não tem provas, mas disse que pretende informar os valores à Justiça.
PROPOSTA INDECOROSA 
''Já disse que foi uma proposta indecorosa, vergonhosa, impublicável e não republicana. Estou dizendo que foi uma proposta, com outras palavras, de vantagem financeira. Não estou dizendo as cifras, mas para bom entendedor o silêncio é o bastante, né? No juízo eu quero, aí eu vou dizer', disse José Augusto Maia.
Mas a outros deputados federais -- dois deles foram ouvidos sob condição de anonimato pela Folha, contaram a mesma história -- Maia afirmou que a oferta foi de R$ 6 milhões, sendo que R$ 2,5 milhões seriam reservados a ele, para que o recém-criado Pros apoiasse Paulo Câmara.
O  deputado afirmou ter ficado indignado com a oferta,  -- diz o jornal -- mas, de acordo com o próprio relato, só decidiu torná-la pública 15 dias após o primeiro contato, quando ficou claro que o Pros não lhe daria condições de concorrer à reeleição.  O jornal afirma que todos os citados que foram ouvidos pela Folha e negaram a oferta.
Segundo dois colegas de Maia, os participantes da conversa não falaram em números por ter medo de grampo e anotaram os valores da propina numa folha de papel. Após o encontro, Maia foi destituído da presidência do Pros estadual.
IR A GERALDO JULIO 
O apoio ao PSB foi anunciado no mesmo dia. Maia diz ter rechaçado a proposta, mas continuou em negociação com o Pros e o PP, pois pretendia se lançar à reeleição em uma coligação exclusiva entre os dois partidos.  Segundo ele, essa hipótese foi descartada em uma segunda reunião, desta vez na sede do PP de Pernambuco, no dia 16 de junho, com o líder do PP, Eduardo da Fonte.
No encontro, diz, o deputado do PP sugeriu que falasse com o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), aliado de Eduardo Campos. Segundo Maia, Da Fonte fez proposta de propina durante a reunião.
O apoio do PP e do Pros deve garantir à candidatura de Paulo Câmara mais de 1 minuto e meio no horário eleitoral na TV. Nacionalmente, as duas siglas apoiam a reeleição da presidente Dilma Rousseff.


Clique  aqui e leia a reportagem completa

terça-feira, 22 de julho de 2014

NOVA PESQUISA IBOPE: DILMA TEM 38%, AÉCIO, 22%; CAMPOS, 8%

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Missa em memória da professora Leane Alves Vaz Macena


Um ano de saudades. Perdemos sua presença, o Céu ganhou mais um tesouro.

COM MEDO DE PERDER INFLUÊNCIA EM PERNAMBUCO E CAMPANHA PRESIDENCIAL CAMPOS TENTA SALVAR ELEIÇÃO DE PAULO CÂMARA

:


Presidenciável Eduardo Campos (PSB) tem priorizado campanha do socialista Paulo Câmara para o governo de Pernambuco; o ex-governador marcou presença até na inauguração de comitês e de eventos em municípios médio porte, como Araripina e Afogados da Ingazeira.

O resultado pífio que o candidato do PSB, Paulo Câmara, tem atingido nas pesquisas preocupou a tal ponto o seu padrinho político que ele já aventa priorizar a campanha ao governo de Pernambuco em detrimento da sua própria.

O fato é que Eduardo, ao se lançar presidente, deu um passo maior que as penas. Chamem de ambição, se quiserem, mas agora ele ameaça perder espaço na política, um setor que não admite a existência de vácuos. Ele que teria uma vaga garantida ao senado e agora arriscar perder os estados governados pelo PSB, a corrida ao Palácio da Alvorada e o governo de Pernambuco, que tratou como um feudo medieval durante oito anos, sem oposição e abrigando todo o tipo de políticos em suas asas para garantir a governabilidade personalista e centralizadora que marcaram seu governo.

Pelo visto, vai ter de suar muito a camisa.

LULA FAZ 1 MILHÃO DE AMIGOS NO FACE E AGRADECE

domingo, 20 de julho de 2014

Folha de São Paulo acusa Aécio Neves de ter construído aeroporto em fazenda de um tio quando era governador de Minas Gerais.


"Jornal de Otavio Frias acusa o presidenciável tucano Aécio Neves de ter construídoaeroporto de quase R$ 14 milhões com verba pública dentro de uma fazenda se seu tio, no fim do seu segundo mandato como governador de Minas Gerais; construído no município de Cláudio, a 150 km de Belo Horizonte, o terminal ficou pronto em outubro de 2010 e é administrado por Múcio Guimarães Tolentino, segundo a publicação; Aécio nega irregularidades e diz que obra atendeu a critérios técnicos

Brasil 247

A “Folha de S. Paulo” disparou seu primeiro petardo contra o presidenciável tucano Aécio Neves. Na manchete da edição deste domingo, o jornal de Otavio Frias acusa Aécio, então governador de Minas Gerais, de ter construído com verba pública aeroporto de quase R$ 14 milhões em terras de seus parentes, em seu segundo mandato.

Construído no município de Cláudio, a 150 km de Belo Horizonte, o empreendimento ficou pronto em outubro de 2010 e seria administrado por Múcio Guimarães Tolentino, tio-avô do senador e ex-prefeito de Cláudio.

De acordo com a publicação, para pousar no local, é preciso pedir autorização aos filhos de Múcio. Segundo um dos filhos de Múcio, Fernando Tolentino, seu primo Aécio Neves usa o aeroporto "seis ou sete vezes" por ano, em visita a cidade ou a Fazenda da Mata, a 6 km do aeroporto. Aécio nega irregularidades e diz que obra atendeu a critérios técnicos (leia aqui)."

Reflexão de Domingo



O joio e o trigo

O Evangelho deste domingo nos remete a parábola do semeador. Jesus é o semeador, aquele que sai a lançar no coração humano as sementes do Reino de Deus, um reino de Paz, Amor e Justiça. O coração humano é o solo onde a semente é depositada para que germine, cresça e produza frutos e a fé, a nossa adesão a proposta de Jesus, a vivência dos seus ensinamentos e a nossa luta diária para nos tornar seus discípulos a amigos é o que fará com que essa semente brote e persista em seu crescimento.
Mas nesse mesmo solo que é o coração humano foram lançadas outras sementes: o egoísmo, a inveja, o ódio, a luxúria, o desamor, a ganância de ter e outras mais que acabam nos desumanizando e nos afastando de Deus.
O que haverá de nascer no coração do homem? O joio ou o trigo?
Veja que alguns dos servos se apressam e propõe que se arranque logo o joio, ideia rejeitada pelo Semeador. Isso poderia estragar o trigo, ou, arrancar alguns ao confundi-los com o joio.
Isso serve para nós. Há dias em somos trigo, há outros, em que cedemos a nossas más inclinações, e que nos assemelhamos ao joio. O mesmo ser humano que é capaz de atos de bondade e amor, pode, também, ser mesquinho, mentiroso e se negar a reconhecer nos outros a presença de Deus.
Os cristãos que lutam entre si são joio ou trigo? Os que em nome do zelo exacerbado da fé, beirando o fanatismo, invade templos alheios e destrói símbolos de sua fé, está sendo trigo ou joio? Os que espancam homossexuais por não concordarem com sua prática e lhes negam o livre-arbítrio sobre suas vidas estão realmente agindo em nome de Deus? Os que agridem os que pensam de forma diferente e procuram destruir suas reputações, seja entre seus companheiros, seja em redes sociais, está deixando crescer a semente boa ou a semente ruim em seu coração?
Todos podemos ser o joio ou o trigo. O que irá determinar isso?
A fé. Aquela que nasce do tamanho de um grão de mostarda, mas quando cresce pode abrigar muito em sua sombra, dando conforto e abrigo, sustentando a vida.
Não uma fé cega e intolerante. Não a fé hipócrita dos fariseus. Não a teologia da prosperidade, onde a fé é tratada como um investimento para assegurar o progresso material.
A fé que nos salva, que nos liberta das prisões que nós mesmos criamos é aquela no depositada no Filho do Homem, aquela que nos ensina a amar, a orar por quem nos ofende, ajudar até os que nos querem mal, sermos justos em nossa atitude e confiantes que tornar esse mundo um lugar melhor é possível. A fé que nos move não por medo da condenação, mas por desejar doar o amor que de graça recebemos.
Saiamos também a semear o que há em nosso coração.
As boas sementes que recebemos de Jesus.
Um ótimo domingo.


Emerson Luiz. 

sábado, 19 de julho de 2014

Na pesquisa Sensus o governo melhora em avaliação, mas segundo turno com Aécio é duro. Empate técnico preocupa governistas

Sensus aponta melhora na avaliação do governo


2
pesquisa Istoé/Sensus mostra a mesma realidade instável já revelada pelo Datafolha.
Está tudo na mesma no primeiro turno. Dilma se mantém firme na primeira colocação. Aécio e Campos emagreceram.
Os votos espontâneos mostram uma queda de 1,5 ponto de Dilma; seus adversários, porém, perderam mais; Aécio caiu 3,1 pontos; Campos perdeu dois.
No segundo turno, o cenário se comprime, em empate com Aécio, e quase empate com Campos.
Uma boa notícia trazida pelo Sensus é que a rejeição ao governo arrefeceu. Caiu de 35% para 28% o percentual de percepção negativa da administração federal.
Cada vez mais fica evidente que Dilma parece estar disputando contra si mesma, contra uma suposta má imagem construída pela mídia, pelo governo e pela própria.
Ela tem 32% de votos e 40% de rejeição pessoal.
Se conseguir desmanchar parte da rejeição do eleitorado a sua pessoa, que realmente está muito alta, sua vitória estará garantida.
Dilma precisa ser “humanizada”. Tem de se livrar do protocolo e do marketing e andar um pouco mais de moto por aí…
ScreenHunter_4289 Jul. 19 17.02


ScreenHunter_4286 Jul. 19 17.00
Interessante notar que a rejeição ao governo caiu drasticamente nessa pesquisa, de 35% para 28%.
ScreenHunter_4287 Jul. 19 17.00

Intolerância e fanatismo religioso. Jovens evangélicos invadem Igreja em Minas Gerais e destroem imagens de santos.



Essa semana trouxe à tona um aspecto negativo de uma parcela do povo brasileiro, o da intolerância religiosa.

Dois jovens que se declaram evangélicos invadiram uma Igreja em Minas Gerais e destruíram várias imagens de santos. Um ato de violência contra uma fé cometido, paradoxalmente, em nome uma fé.

A violência contra os ícones católicos foi justificada por um deles com o argumento de que "não concordava com a idolatria". Então, por não concordar com uma suposta prática, qualquer um pode tomar atitudes fascistas para proibi-la?

O debate teológico sobre o uso de imagens sacras ser ou não idolatria é antigo. Foi ele que motivou o primeiro cisma religioso e separou os Católicos Romanos da Igreja Oriental e foi ainda mais turbulento no período da Reforma. Aqueles que estudam a fé católica a fundo afirmam: "Católicos não são idólatras".

Bem mais antigo que esse debate sobre a idolatria é o sentimento de intolerância, seja ela política, religiosa, afetiva ou filosófica. Católicos já perseguiram protestantes. Protestantes já perseguiram católicos.

Protestantes e Católicos já perseguiram Judeus. Judeus já perseguiram Palestinos. Mulçumanos já perseguiram Judeus, Católicos e Protestantes.

Europeus, independente de qual fé expressavam, perseguiram, escravizaram, torturaram, estupraram e mataram negros e índios e negaram-lhes o direito à terra, à cultura, à fé e à vida.

E foram precisos milênios para que pudéssemos chegar a uma sociedade que aceita a ideia de que todos somos iguais, detentores dos mesmos direitos.

Vivemos em um Estado Democrático de Direito, laico, onde cada um é livre para crer no que quiser, ou, ainda, em nada crer!

A atitude desses jovens mostram o quanto alguns religiosos ainda estão arraigados a ideias preconceituosas, violentas e autoritárias.

Esqueceram eles de ensinar os princípios básicos do cristianismo?

Jesus não forçou ninguém a segui-lo.

Não foi pela violência nem pela intolerância que ensinou.

O caminho para se chegar a Deus, nas palavras e gestos de Jesus, não fazia escala em atos de vandalismo e intolerância aos que pensavam de forma diferente.

Creio que esses jovens não possam ser chamados de evangélicos, já que o termo designaria quem vive de acordo com os princípios expostos no Evangelho, na Boa Nova do Reino de Deus, um reino de paz, amor e justiça.

Essa triste atitude só serviu para mostrar como nós, enquanto sociedade, ainda mantemos nossas práticas distantes daquilo em que dizemos acreditar.

Emerson Luiz 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Datafolha: Dilma tem 36%, Aécio 20%, Campos 8% e Everaldo 3%


Datafolha: Dilma soma 36%, Aécio, 20%, e Campos, 8%, diz pesquisa Datafolha. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 38%, Aécio, 20%, e Campos, 9%

dilma aécio campos
Datafolha para a corrida presidencial: cenário de estabilidade entre os candidatos (Pragmatismo Político)
Pesquisa Datafolha divulgada pela TV Globo, nesta quinta-feira (17), mostra que a disputa pela Presidência da República não apresentou grandes mudanças em relação aos últimos números apresentados pelos institutos de pesquisa. Esta é a primeira sondagem a ser realizada após o final da Copa do Mundo no país.
Veja os números:
Dilma Rousseff (PT) – 36%
Aécio Neves (PSDB) – 20%
Eduardo Campos (PSB) – 8%
Pastor Everaldo (PSC) – 3%
José Maria (PSTU) – 1%
Eduardo Jorge (PV) – 1%
Luciana Genro (PSOL) – 1%
Rui Costa Pimenta (PCO) – 1%
Eymael (PSDC) – 1%
Levy Fidelix (PRTB) – 0%
Mauro Iasi (PCB) – 0%
Brancos e nulos – 13%
Indecisos – 14%
Somados, os adversários de Dilma acumulam 36%, mesmo percentual da presidente.
Na disputa pelo segundo turno, o cenário apresenta os números abaixo:
Dilma 44% | 40% Aécio
Dilma 45% | 38% Campos
Quanto à avaliação do governo, os números foram os seguintes:
Bom/Ótimo – 32%
Regular – 38%
Ruim/Péssimo – 29%
Não sabem – 1%
A última pesquisa Datafolha foi divulgada em 2 de julho. Nela, a presidente Dilma Rousseff (PT) cresceu de 34% para 38% em um mês. No mesmo intervalo, o candidato do PSDB, Aécio Neves, oscilou de 19% para 20%. Já o candidato do PSB, Eduardo Campos variou de 7% para 9%, deixando assim a posição de empate técnico com o candidato Pastor Everaldo Pereira (PSC), estacionado em 4%.
Em relação à pesquisa anterior, a taxa de rejeição a Dilma subiu de 32% para 35%. O segundo mais rejeitado é o candidato Pastor Everaldo (PSC), que tem 3% das intenções de voto, mas 18% de rejeição. Os que rejeitam Aécio oscilaram de 16% para 17%. Campos mantém os 12% da pesquisa anterior.