quarta-feira, 30 de julho de 2014

NOVA PESQUISA IBOPE: Armando lidera com 43% e Câmara tem 11%


Do G-1
Pesquisa Ibope divulgada, há pouco, na TV-GLobo, mostra Armando Monteiro (PTB) com 43% das intenções de voto para governador de Pernambuco. Em seguida, aparecem Paulo Câmara (PSB) com 11%, Zé Gomes (PSOL) com 2%, e Jair Pedro (PSTU), Miguel Anacleto (PCB) e Pantaleão (PCO), os três empatados com 1%.
 

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor:

Armando Monteiro (PTB): 43%
Paulo Câmara (PSB): 11%
Zé Gomes (PSOL): 2%
Jair Pedro (PSTU): 1%
Miguel Anacleto (PCB): 1%
Pantaleão (PCO): 1%
 Brancos e nulos: 19%
 Indecisos: 22%

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 e 28 de julho. Foram entrevistados 1.204 eleitores em 57 municípios do estado. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos, a  probabilidade do resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) sob o número 00012/2014, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 00269/2014.

Rejeição 

A pesquisa também mediu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Veja os números:

Pantaleão: 26%
 Zé Gomes: 24%
 Jair Pedro: 21%
 Paulo Câmara: 20%
 Miguel Anacleto: 19%
 Armando Monteiro: 14%
 Não rejeitariam nenhum dos candidatos: 15%
 Não souberam ou não responderam: 35%

Educação de Venturosa volta a ser matéria da TV Asa Branca



Em 24 horas a cidade de Venturosa - PE figurou duas vezes em programas jornalísticos da TV ASA BRANCA sobre o mesmo tema: Educação. A primeira matéria exibiu o drama da Escola Estadual Cônego Emanuel Vasconcelos, que há cinco anos luta pela construção de um prédio próprio. A unidade de ensino funcionava em um prédio pertencente ao município e hoje está desmembrada em três prédios, distantes um do outro, sem espaço adequado e mesmo assim lutando para oferecer aos seus alunos uma educação de qualidade.

Hoje (30/07), foi a vez da emissora abordar a situação das turmas multisseriadas na rede municipal de ensino. A reportagem ouviu professores, alunos e a secretária Sônia Diógenes Tenório.

Embora saibamos que o ideal seria pôr fim as turmas multisseriadas (aquelas onde um professor atende vários alunos de anos diferentes em uma mesma sala de aula), a secretária de educação deu esclarecimentos objetivos sobre o porque de sua continuidade em Venturosa.

Entre os problemas detectados por ela se encontram:

1. O transporte desses alunos para a sede do município, já que as escolas não teriam como absorver todos eles, superlotando ainda mais as salas.

2. Muitos pais preferem que os filhos estudem próximo de suas casas e essas salas multisseriadas se localizam em locais distantes da sede.

3. Questões financeiras. Não haveria como contratar professores para dar aulas a turmas tão pequenas. Ao transferir esses alunos para a sede, também serão realocados todos os funcionários dessas unidades de ensino.

UM DEBATE NECESSÁRIO

A lógica do argumento da secretária é impecavelmente plausível. 

Ela não pode ser culpada por a existência dessas turmas, tão pouco pela dívida histórica que os governos municipais, estaduais e federal têm com a educação. 

Há muito que a escola pública foi sucateada, que os professores foram vilipendiados e a nobre carreira docente perdeu toda a atratividade. 

Mas é preciso urgentemente de um novo reordenamento de prioridades nesse país. A educação continuará sendo sempre o maior tesouro de uma sociedade e o primeiro dever dos dirigentes para com o seu povo.

Povo educado se liberta e torna-se libertador.

Antes de ser secretária, Sônia foi e continua sendo uma educadora. Criticar sua postura nessa matéria ignorando a realidade que acomete várias escolas nos mais diversos locais desse país não seria nem ético nem responsável.

Sou contra salas multisseriadas, mas o seu fim deve ser objeto de debate com os pais desses alunos, professores, comunidade escolar e agentes públicos. Ele deve ocorrer de forma consciente, como fica implícito em sua fala. Sou professor, sei o quanto é difícil trabalhar em condições adversas, lutando contra a falta de estrutura, desmotivação dos alunos, famílias desestruturadas, inversões de valores e baixos salários.

É fato que esse sistema multisseriado forma alunos deficientes, que chegam ao Ensino Fundamental II sem o efetivo domínio dos saberes que lhe são exigidos a partir do 6º ano, gerando deficiências que podem lhe acompanhar por toda sua trajetória estudantil caso não sejam trabalhadas por professores, familiares e, claro, o próprio estudante.

Mas como colocar fim a ele sem antes contar com escolas estruturadas para receber esses alunos, o entendimento dos seus pais e a locação dos trabalhadores em educação?

Seguir o exemplo do governo do Estado, fechando escolas sem o consentimento de pais e alunos, obrigando estudantes a irem a escolas muito distantes de suas casas e tratando professores como se nada fossem? Na verdade, a municipalização como vinha sendo feita só servia para agradar prefeitos aliados do atual governo.

Fico contente que o governo do Estado de Pernambuco tenha suspendido a municipalização do Ensino Fundamental II. Afinal, lotar salas não é assegurar qualidade de ensino. O aluno é o centro da educação e não a garantia do aumento de repasses. 

Caso a presidente Dilma Rousseff seja reeleita e a política educacional siga os rumos por ela traçados a educação receberá grandes investimentos para sua melhoria oriundos do pré Sal, incluindo nisso a real valorização do professor, com salários dignos de sua função, equiparados ao de outras profissões com Ensino Superior.

O Governo do Estado reiterou sua promessa de construir um novo prédio para a Escola Cônego Emanuel Vasconcelos e com isso temos a esperança de continuar a existir e a nos dedicar à educação dos nossos jovens e adultos.

Mas nem as escolas do município nem as de rede estadual poderão vencer os obstáculos a elas impostos sem a participação da sociedade.

Debater o futuro da nossa educação é necessário para todos nós.

Professores municipais e estaduais precisam se unir para exigir melhorias na educação, se colocando acima de partidos e pensando coletivamente, como uma categoria.

Pais e responsáveis devem ser mais presentes na escolas. 

E você, cidadão ou cidadã, você também deve se sentir responsável pela qualidade da educação em sua cidade, seu estado e seu país.

Não adianta reclamar e nada fazer para mudar.


Para ver a matéria CLIQUE AQUI




O jeito de Aécio demonstrar que ama o povo nordestino e que vai trabalhar por nossa região.



Dia 20, Juazeiro do Norte, Ceará. Grande festa popular em homenagem ao Padre Cícero, ruas cheias, romeiros vindos de longe. Na missa, os tucanos Aécio Neves, candidato à Presidência da República, e Tasso Jereissati, candidato ao Senado, com comitivas.
Pois não é que, na cidade superlotada, acharam um jeito de não se misturar à multidão? Conseguiram um cercadinho VIP, com cadeiras e tudo, que ninguém é de ferro.
Tudo bem, eram cadeiras de plástico, indignas de um pessoal tão refinado que nem na missa se mistura, mas que se há de fazer?     (Carlos Brickmann)

terça-feira, 29 de julho de 2014

ESCOLA CÔNEGO EMANUEL VASCONCELOS É NOTÍCIA NA TV ASA BRANCA

A Escola Cônego Emanuel Vasconcelos foi notícia no telejornal desta semana. A equipe de reportagem da TV ASA BRANCA visitou as dependências da escola e constatou as duras condições impostas a professores e alunos.

Mesmo com tantos desafios nossa escola tem alcançado grandes objetivos, realizado grandes projetos e levado educação de qualidade aos seus alunos.

Lutamos para que nossa escola continue existindo, só que em um local adequado e digno de atender nossos jovens e adultos.

Veja a matéria e junte-se a nós nessa nobre causa.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

No Agreste, Armando Monteiro anuncia apoio de mais de 30 lideranças

Foto: Agência Brasil

De passagem por Garanhuns e Canhotinho, no Agreste, Armando Monteiro (PTB) e Paulo Rubem (PDT), candidatos a governador e a vice de Pernambuco, dedicaram um bom tempo da agenda neste final de semana para receber os apoios de mais de 30 lideranças políticas da região, a exemplo do prefeito e do vice de Angelim, Marco Calado e Josemir Miranda, ambos do PSD.
Os apoios a Armando são dos municípios de Águas Belas, Iati, Angelim, Lajedo e Bom Conselho, do Agreste Meridional, e estão todas fechados com a chapa da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, composta ainda por João Paulo (PT) como candidato ao Senado.
Em Lajedo, Armando Monteiro e Paulo Rubem passaram a contar com o apoio dos vereadores Mônica Silva (PSD) e Dennysson da Água (Pros). Segundo Mônica, ela se decidiu pelo apoio a Armando após ouvir o discurso do senador licenciado no Congresso da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), em Caruaru, em junho.
“O senador sabe que a base da política é o vereador. Me decidi naquele momento, pois vi que Armando é o candidato dos vereadores”, destacou.
Já em Águas Belas, a chapa majoritária recebe o suporte do prefeito Genivaldo Delgado, do PT, além do vice Mauricio de Josué, do PSD, e os vereadores Washington Falcão, Josué de Curral Novo e Nitalmo do Leite, todos do PT, e Buda, do PSD.
“Já temos uma aliança consolidada com Armando. Ele será um governador sério e correto”, avaliou o prefeito.
Em Iati, Armando Monteiro conseguiu o apoio dos grupos do governo e da oposição. Pela manhã, o candidato a governador se reuniu com o prefeito Padre Jorge, do PTB, e os vereadores de sua base na Câmara, Nísio e Quequeta, do PT, e Josélio, do PTdoB. “O povo já absorveu a alma de Armando, um homem sempre fiel às lutas da população. Ganharemos a eleição em Iati, sem sombra de dúvidas”, enfatizou Padre Jorge.
O ex-prefeito de Iati Alexandre Tenório, do PR, também apoia Armando Monteiro. Junto com ele, mais dois vereadores anunciaram sua adesão à candidatura: Sebastião Vital e Alcí Tenório.
A maior caravana veio de Bom Conselho, com a participação de lideranças e ex-vereadores, incluindo os ex-prefeitos Daniel Brasileiro e Audálio Ferreira, ambos do PTB, do candidato a prefeito em 2012 Washington Azevedo (PT) e a vereadora petista Márcia do Angico.

domingo, 27 de julho de 2014

CUIDADO COM OS CUSTOS DAS PROMESSAS DE CAMPANHA - CUSTO TOTAL DAS PROMESSAS DE EDUARDO CAMPOS, SE CUMPRIDAS, SERIA DE R$ 125 BI

247 - As promessas de campanha de Eduardo Campos, candidato à presidência da República pelo PSB, dificilmente caberiam no orçamento da União. Segundo levantamento do jornalista Ranier Bragon, da Folha de S. Paulo (leia aqui), elas custariam pelo menos R$ 125 bilhões ao ano.
Entre as promessas, constam 10% da receita federal para a saúde, passe livre para estudantes no transporte público e escola pública em ensino integral.
Campos tem afirmado que tudo depende da escolha adequada de prioridades. "O Orçamento geral da União tem recursos, sim, para fazermos a escola em tempo integral em quatro anos, para fazer o passe livre ser um direito dos estudantes brasileiros. Estamos fazendo conta com responsabilidade", disse ele.
Segundo o levantamento do jornalista, o passe livre custaria entre R$ 9 bilhões e R$ 12 bilhões ao ano. Os 10% da receita bruta da União para a saúde representariam R$ 39 bilhões. Com as demais promessas, o valor chegaria aos R$ 125 bilhões, que representa cinco vezes o gasto com o Bolsa-Família.

REFLEXÃO DE DOMINGO

A Palavra de Deus, que nos é anunciada hoje, nos ajuda a entender o valor, a importância e o significado que o Reino de Deus tem para nós. Comparar o Reino de Deus com um tesouro ou com pérolas preciosas nos dá realmente a dimensão e o valor da importância que esse Reino tem para a nossa vida. Na verdade, ele significa tudo, não tem nada neste mundo mais importante do que ele e quem o descobriu, descobriu tudo! Descobriu a razão de viver, o sentido para a vida, porque o Reino de Deus nos traz a razão para o nosso viver.
A primeira leitura da Missa de hoje nos traz um grande ensinamento da maneira como devemos nos dirigir a Deus. Vemos Salomão, muito jovem e escolhido para ser o rei de Israel, se apresenta diante de Deus, ele poderia pedir o que quisesse diante da presença do Senhor, mas ele pede: “Senhor, conceda-me sabedoria, conceda-me um coração compreensivo capaz de governar o seu povo e saber discernir entre o bem e o mal”. O pedido de Salomão agradou tanto o Coração de Deus, porque ele [Salomão] não pediu vida longa, não pediu riquezas, não pediu morte para seus adversários, mas somente a sabedoria para praticar a justiça e fazer a vontade de Deus. Por isso o Senhor atendeu o pedido dele porque este agradou demais o Coração d’Ele.
Deixe-me dizer uma coisa a você: Nós, às vezes, nos preocupamos em pedir tantas coisas para Deus; pedimos saúde, pedimos vida melhor, pedimos paz e prosperidade. Não é errado pedir isso, cada um sabe das suas necessidades. Filho, apresente ao coração de Seu Pai aquilo que é necessidade do seu coração. Mas nós, muitas vezes, nos esquecemos de pedir o essencial, o fundamental, essa riqueza maior que se chama: Espírito Santo.
É o Espírito que nos dá a sabedoria necessária para termos discernimento, para termos prudência, para tomarmos as decisões corretas, para termos a fortaleza necessária. Por isso o pedido de Salomão agradou tanto ao Coração de Deus, porque ele não pediu nada pensando em si; ele pediu para praticar o bem e viver a vontade do Senhor!
Que hoje a Palavra de Deus venha ao nosso encontro irradiando em nosso coração essa vontade de pedir ao Senhor que nos dê o segredo do Seu Reino, que nos dê essas pérolas preciosas: os dons do Seu Santo Espírito e nos conceda, em abundância, a sabedoria e a capacidade de discernir entre o bem e o mal, entre o que é a vontade de Deus e o que não é a vontade do Senhor.
Deus abençoe você!

Lideranças criticam vinhetas para divulgar a candidatura de Armando em Venturosa. Ainda tem coisas importantes que precisam serem ditas!


Algumas lideranças políticas da oposição tem reclamado como a campanha de Armando Monteiro tem sido conduzida em Venturosa.

Segundo dizem falta a associação com a realidade municipal e não há esforço para vincular o nome de Armando ao da presidente Dilma e ao  ex-presidente Lula, que já declararam Armando Monteiro como sendo o seu candidato em Pernambuco.

Na opinião deles o povo precisa saber quem está com Dilma e Lula e quem traiu os dois. Também é nessa campanha que se deve informar ao povo de Venturosa a quantidade de recursos federais que o município recebeu, as máquinas que foram enviadas pelo governo Dilma sem que a prefeitura desse qualquer contrapartida, as habitações populares, construção de postos de saúde da família e também os recursos de programas como o Mais Médicos, todos do governo federal.

Junte-se a isso que é o grupo de oposição no município que sempre apoiou Lula.

Desprezar esses dados nessa campanha local é desperdiçar momentos valiosos para informar a população sobre as posições do grupo e o projeto que tem junto a Armando Monteiro, João Paulo e os seus deputados.


Panfleto distribuído pelo PSB traz erros grosseiros sobre a saúde de Arcoverde e é alvo de críticas do vereador Luciano Pacheco

O texto a seguir foi publicado pelo vereador Luciano Pacheco em seu perfil oficial na rede social facebook:


Panfleto do candidato Paulo Câmara chama Hospital Regional de Arcoverde de "Hospital Rui Barbosa"
Parece ser inacreditável, mas é verdade. Num prova cabal de que o candidato Paulo Câmara não conhece de fato o Estado de Pernambuco, o panfleto distribuído por militantes da Frente Popular, em um evento político ocorrido na última sexta-feira(25.07), diz que "Paulo sabe a importância do Hospital Rui Barbosa" ao se referir ao Hospital Regional de Arcoverde.
Ora, todos sabem que o nome do Hospital Regional de Arcoverde é, na verdade, "Ruy de Barros Correia". Apenas para situar os mal informados assessores de Paulo Câmara: Ruy de Barros Correia foi um renomado médico em Arcoverde - pai do cardiologista e ex-prefeito Ruy de Barros Correia Filho. Outro cuidado que os marqueteiros deveriam ter tido: bastava uma visita rápida no site Google(na Internet) para saber que não há, em Pernambuco, um só hospital regional com a denominação de "Rui Barbosa". Pode haver, no máximo, um hospital com esse nome no Estado da Bahia, onde nasceu o renomado jurista e diplomata Ruy Barbosa(com "Y").
Se o candidato mal sabe o nome do nosso hospital(embora possa alegar "erro gráfico como eventual desculpa), devemos deduzir que também ele desconhece por completo o caos por que passa essa unidade médica - onde faltam gaze, gesso no setor de ortopedia, gestantes são removidas para outras cidades por falta de médicos e tantos outros graves problemas.
Nesse mesmo panfleto, no tópico "A nova saúde avança", o candidato diz(de novo talvez desconhecendo os fatos) que a UPAE(na Cohab I) oferece diversas especialidades médicas, o que não corresponde a realidade. Inaugurada, no final de março - a "toque de caixa" - pelo então governador Eduardo Campos, a unidade é praticamente um "elefante branco" que oferece poucos exames.
Por fim, o panfleto, ou a "obra de ficção" dos desenformados, termina falando em "ampliar os serviços do SAMU"; quando se sabe que, há mais de um ano, esse serviço vem capengando. Portanto, não se pode "ampliar" o que mal funciona.
Resumindo: o povo de Arcoverde merece respeito, a história da nossa cidade merece respeito.
Para certos candidatos que só andam no Sertão com o auxílio de GPS(por puro medo se perderem na volta à Capital) repito para ver se eles aprendem a lição até a eleição: o nome do Hospital Regional de Arcoverde é Ruy de Barros Correia e não "Rui Barbosa".

Luciano Pacheco

sábado, 26 de julho de 2014

Briga de foice entre o PSB e o jornal Folha de São Paulo


A denúncia veiculada pelo jornal Folha de São Paulo de que lideranças do PP e do Pros teriam oferecido dinheiro para que o PROS-PE apoiasse o PSB na disputa pelo Governo de Pernambuco virou uma briga que parece longe de terminar. Após o candidato socialista Paulo Câmara conseguir obter, na última sexta-feira (25), uma liminar determinando que o jornal publique em até 48 horas o direito de resposta e a retirada da matéria com as denúncias do seu site, a Folha de São Paulo anunciou, neste sábado, que irá recorrer da decisão do desembargador José Ivo de Paula Guimarães, do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE).
As denúncias veiculadas pela Folha, na última quarta-feira, foram feitas pelo deputado federal José Augusto Maia (Pros-PE). Segundo o parlamentar, que exerceu o cargo de presidente da legenda em Pernambuco, o líder do PP na Câmara Federal, Eduardo da Fonte, e o presidente nacional do Pros, Eurípedes Júnior, teriam oferecido dinheiro para que o Pros pernambucano apoiasse a postulação de Paulo Câmara – cuja coligação conta com 21 partidos – e não a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB).
A denúncia atingiu em cheio a campanha de Câmara que ingressou com uma ação na Justiça pedindo direito de resposta a retirada da matéria do site do jornal. A decisão judicial favorável a Câmara saiu nesta sexta-feira e o jornal entrou com uma medida cautelar junto ao Plenário do TRE-PE para tentar conseguir um efeito suspensivo.
Em sua decisão, o juiz José Ivo de Paula Guimarães, considerou que a publicação divulgou "matéria de conteúdo calunioso, difamatório e injurioso que atinge o representado, apesar de o denunciante ter asseverado não ter provas de suas afirmações" .
"É uma decisão que comete uma grave inversão de valor. A Justiça Eleitoral, em vez de apurar o conteúdo da informação jornalística, que é grave, prefere exercer um ato que equivale a um ato de censura", afirmou o advogado da Folha de São Paulo, Luís Francisco Carvalho Filho. "O candidato nem é acusado de nada na matéria, portanto não há nenhuma referência ofensiva a ele, razão pela qual esse pedido de resposta é absolutamente descabido. O jornal cumpriu o dever de transmitir uma informação de interesse público e a concessão do direito de resposta ao candidato viola a Constituição brasileira”, disse.
"Não entendemos como censura, de forma alguma. O jornal pode divulgar o que bem entender, tem liberdade de expressão. Mas também é legítimo ao candidato fazer esse pedido", disse ao jornal o coordenador jurídico da campanha de Câmara, Carlos Neves Filho.  (BRASIL 247)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Paulo Câmara terá o dobro do tempo de televisão de Armando Monteiro

As eleições para o Governo do Estado de Pernambuco entrarão em uma nova fase a partir de agosto, quando terá início o guia eleitoral no rádio e televisão. Nesta fase da campanha, o candidato do PSB, o ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara sai com vantagem sobre os demais adversários. O socialista terá 10 minutos e 26 segundos para apresentar suas propostas ao eleitor, o dobro do tempo que o seu maior rival, o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que contará com quatro minutos e 57 segundos.
Conforme o sorteio realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta quinta-feira (24), Zé Gomes Neto (PSOL) terá um minuto e 16 segundos para apresentar as suas propostas no guia. Jair Pedro (PSTU), Pantaleão (PCO) e Miguel Anacleto (PCB) contarão com um minuto e seis segundos, cada.
Ao todo, Paulo Câmara fará 281 inserções enquanto Armando Monteiro contará com 133. O candidato do PSOL, Zé Gomes Neto, poderá efetuar até 30 inserções. Jair Pedro, Pantaleão e Miguel Anacleto terão direito a 30 inserções ao longo do guia.
Os candidatos ao Senado, o ex-ministro da Integração Fernando Bezerra Coelho (PSB) terá cinco minutos e 19 segundos e o deputado federal João Paulo (PT), que integra a coligação Pernambuco Vai Mais Longe, terá dois minutos e 35 segundos. Os outros três candidatos terão, em média, cerca de 40 segundos.
Já a maior parte do tempo dos candidatos proporcionais ficará nas mãos da Frente Popular. Os postulantes a deputado federal terão cerca de 13 minutos. Já os integrantes da coligação Pernambuco Vai Mais Longe terão seis minutos e 11 segundos a sua disposição. O restante do tempo será ocupados pela coligação Mobilização por Poder Popular (PSOL/PMN).
Para a campanha de deputado estadual, a Frente Popular é a que possui o maior tempo à sua disposição, com7 minutos e 33 segundos. Em seguida, aparece a coligação Pernambuco Vai Mais Longe, com 4 minutos e 35 segundos, além da coligação Pernambuco Que Eu Quero, com 2 minutos e 16 segundos. As demais coligações e candidatos terão menos de 1 minuto e 30 segundos para apresentar seus candidatos.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, processa Maia por acusação de suborno. Leia nota emitida pelo candidato.











''Figuras como José Augusto Maia devem ser banidas da política''
''Uma tentativa caluniosa de me descredibilizar'
O candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), disse ontem que está tomando 'todas as medidas judiciais cabíveis' contra o deputado José Augusto Maia (Pros-PE). Em nota, Câmara classificou a denúncia de Maia como 'uma tentativa caluniosa de me descredibilizar'. José Augusto maia denunciou ter recebido oferta de dinheiro para que seu partido integrasse a coligação da Frente Popular,  que tem Paulo Câmara como escolhido pelo presidenciável Eduardo Campos para sucedê-lo no comando do Estado.
'Anuncio que estou tomando todas as medidas judiciais cabíveis contra José Augusto Maia e todos os envolvidos nesta nefasta e inadmissível atitude. Mais do que uma retaliação, do mais baixo nível, como se poderia esperar, pelo seu autor, fui vítima de um golpe que me obriga a reagir, imediatamente, e com força proporcional -- não necessariamente à repercussão, mas à intenção', diz Paulo Câmara
O candidato do PSB ressaltou ainda que o deputado do Pros 'responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha e foi condenado pela Justiça pernambucana por improbidade, tendo seus direitos políticos suspensos por três anos'. José Augusto Maia (Pros-PE) contesta Câmara e diz que não há nenhuma condenação definitiva contra ele.
Leia abaixo, na íntegra, a nota de Paulo Câmara:
''A matéria publicada hoje (23/07), pelo jornal Folha de São Paulo, ao citar o meu nome, sugere, irresponsavelmente, a associação da minha imagem a uma suposta ação criminosa. Em função da matéria publicada por esse jornal, baseada em denúncia formulada por um parlamentar pernambucano, sinto-me obrigado a me posicionar em defesa da minha honra e credibilidade, o maior patrimônio que construí ao longo da minha vida.
É importante destacar, que o deputado José Augusto Maia, que serviu como fonte da reportagem, responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha, e foi condenado, pela justiça pernambucana, em abril deste ano, por improbidade administrativa, tendo os seus direitos políticos suspensos pelo prazo de três anos, além da condenação e dos processos em andamento no Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. Importante também ressaltar a relação histórica de amizade e apoio de José Augusto Maia ao nosso adversário direto, o ex-empresário Armando Monteiro Neto, que desde as primeiras horas do dia da publicação da matéria tenta tirar proveito eleitoral do assunto.
O que me parece mais grave é a tentativa caluniosa de me descredibilizar. Sou servidor público há 22 anos, com uma trajetória séria e reconhecida. Nunca, em nenhum momento, fui vítima de qualquer ação que questionasse os princípios que levo, de casa, à vida pública: honestidade, correção, respeito, senso de justiça. Daí a minha mais profunda indignação diante deste episódio. Será que, pela condição de candidato ao governo, devo ser exposto publicamente por conta da má fé de elementos como o referido senhor? Atitudes assim envergonham a atividade política e, pior, buscam arrastar para os espaços nebulosos, onde atua um 'ficha-suja', pessoas que estão na vida pública apenas com o intuito de exercer sua vocação e atender a uma convocação.
Figuras como José Augusto Maia devem ser banidas da política, como já foi determinado pela justiça. Portanto, em meu nome, da minha família e de todos aqueles a quem represento, nesta caminhada, como cidadão e homem público, anuncio que estou tomando todas as medidas judiciais cabíveis contra José Augusto Maia e todos os envolvidos nesta nefasta e inadmissível atitude. Mais do que uma retaliação, do mais baixo nível, como se poderia esperar, pelo seu autor, fui vítima de um golpe que me obriga a reagir, imediatamente, e com força proporcional - não necessariamente à repercussão, mas à intenção.
Tenho uma missão a cumprir e assim será. Estou convencido de que o ocorrido servirá apenas para nos fortalecer nesta luta, contra adversários desleais. Manteremos o rumo e, apesar da indignação, não perderemos a serenidade. Pernambuco conta comigo. E estou cada vez mais firme na decisão, coletiva, de vencer com trabalho e respeito.''

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Morre Ariano Suassuna.

Morreu no Recife, nesta quarta-feira (23), o escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87 anos. Ele estava internado desde a noite de segunda (21) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Português, onde foi submetido a uma cirurgia na mesma noite após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico. Segundo boletim médico, o escritor faleceu às 17h15. "O paciente teve uma parada cardíaca provocada pela hipertensão intracraniana".
O velório do corpo do escritor começa ainda esta noite, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, que decretou luto oficial de três dias. A partir das 23h, será aberto o acesso do público ao local. O enterro está previsto para a tarde de quinta-feira (24), no cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.
Ativo até o fim
Ariano Suassuna nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa, e cresceu no Sertão paraibano. Mudou-se com a família para o Recife em 1942. Mesmo com os problemas na saúde, ele permanecia em plena atividade profissional. "No Sertão do Nordeste a morte tem nome, chama-se Caetana. Se ela está pensando em me levar, não pense que vai ser fácil, não. Ela vai suar! Se vier com essas besteirinhas de infarto e aneurisma no cérebro, isso eu tiro de letra", disse ele, em dezembro de 2013, durante a retomada de suas aulas-espetáculo.
Em março deste ano, Ariano foi homenageado pelo maior bloco do mundo, o Galo da Madrugada.  Ele pediu que a decoração fosse feita nas cores do Sport, vermelho e preto, e ficou muito contente com a homenagem. “Eu acho o futebol uma manifestação cultural que tem muitas ligações com o carnaval”, disse, na ocasião.
No mesmo mês, o escritor concedeu uma entrevista à TV Globo Nordeste sobre a finalização de seu novo livro, “O jumento sedutor”. Os manuscritos começaram a ser trabalhados há mais de trinta anos.
Na última sexta-feira, Suassuna apresentou uma aula espetáculo no teatro Luiz Souto Dourado, em Garanhuns, durante o Festival de Inverno. No carnaval do próximo ano, o autor paraibano deve ser homenageado pela escola de samba Unidos de Padre Miguel, do Rio de Janeiro.
Com montagem d'O Auto da Compadecida no Rio de Janeiro, Ariano conquistou a crítica brasileira (Foto: Acervo pessoal / Ariano Suassuna)Com montagem d'O Auto da Compadecida no Rio de Janeiro, Ariano conquistou a crítica brasileira (Foto: Acervo pessoal / Ariano Suassuna)
Obra
A primeira peça do escritor, "Uma mulher vestida de sol", ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno em 1948. Ariano escreveu um de seus maiores clássicos, "O Auto da Compadecida", em 1955, cinco anos depois de se formar em direito. A peça foi apresentada pela primeira vez no Recife, em 1957, no Teatro de Santa Isabel, sem grande sucesso, explodindo nacionalmente apenas quando foi encenada – e ganhou o prêmio – no Festival de Estudantes do Rio de Janeiro, no Teatro Dulcina. A obra é considerada a mais famosa dele, devido às diversas adaptações. Guel Arraes levou o “Auto” à TV e ao cinema em 1999.
O escritor considera que seu melhor livro é o “Romance d'A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta”. A obra começou a ser produzida em 1958 e levou 12 anos para ficar pronta. Foi adaptada por Luiz Fernando Carvalho e exibida pela Rede Globo em 2007, com o nome de "A pedra do reino".
Na década de 70, Ariano começou a articular o Movimento Armorial, que defendeu a criação de uma arte erudita nordestina a partir de suas raízes populares. Ele também foi membro-fundador do Conselho Nacional de Cultura.
Após 32 anos nas salas de aula, Suassuna se aposentou do cargo de professor da Universidade Federal de Pernambuco, em 1989. O período também ficou marcado pelo reconhecimento nacional do escritor – Ariano tomou posse na cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro, em 1990.
Aqui posto uma de suas aulas espetáculo.
Saudades eternas,